Entorno


Fato – Sistema de coleta de lixo entre os piores


“Hábitos e costumes não mudam de uma noite para o dia, é necessário à reeducação e eficiente serviços de utilidade pública por parte do executivo que se preocupa com a sua população”. Assim definiu Hebert de Souza ao defender melhor qualidade de vida para as famílias carentes, no lançamento da Campanha Contra a Fome e a Miséria no ano de 2006, no plenário da Câmara Federal.
Na falta de um caminhão de coleta descente, uma caçamba velha continua sendo a alternativa que a mais de uma década serve a cidade de Novo Gama. Quem não se lembra dos precários caminhões de lixo, que diariamente percorrem as ruas do município, sem as mínimas condições de uso, e o mais agravante, debaixo dos olhares dos responsáveis pelo executivo do município, que, por muitos anos, serve aos moradores da região, ao comércio local, à Igreja e a todos os setores do município?
Não é necessária grande experiência para se concluir que a cidade, onde são erguidas mais de mil residências a cada ano, e que a população aproxima-se dos 120 mil habitantes, com produção de lixo diário superior a 30 toneladas, não possui uma coleta eficiente. Porém, há vários anos temos a mesma frota de caminhões e o mesmo ciclo da coleta de lixo, ou seja, em média, três vezes por semana. Além disto, o serviço sofre interrupções, principalmente nos finais de semana e feriados.  
“Já estamos acostumamos a ver montanhas de lixos entulhados nas ruas e nas lixeiras, onde os cavalos, cachorros, roedores, como ratos e gambás, e insetos alimentam-se e fazem seus ninhos. A cada dia aumenta mais a população destes animais, motivo pelo qual não conseguimos mais combater suas invasões e visitas noturnas em nossos lares”, diz a dona de casa Maria Evangelista Ribeiro, moradora do município a mais de 30 anos.
O fato novo não é o lixo amontoado no chão e à espera do devido recolhimento, mas sim o tipo de LIXO encontrado espalhado pelas principais avenidas do município devido os caminhões, por não serem adequados, espalharem o lixo por onde passam, devido o excesso. “Eles enchem o caminhão aqui no Novo Gama, porém antes de chegar ao Lago Azul à metade já ficou pela estrada”, conta o estudante Marcos Aurélio de Araújo.

Para os moradores do município, esse descaso é constante, pois segundo foi informado por populares, há anos que eles vivem com as promessas de que um dia a cidade passaria por melhorias. A população revela que já está cansada de  sofrer na mão de pessoas que não tem compromisso com a cidade. “Já tivemos caso aqui de garis que foram esmagados pelos caminhões, pois estes não possuem acomodações e segurança para os trabalhadores. Eles (Prefeito, vice e secretários), não têm qualquer compromisso com a cidade, bem como respeito pelos trabalhadores”, diz revoltada a esposa de um gari. “É sempre assim, entra prefeito e saí prefeito, mas nada acontece na cidade. Espero que quem ganhar desta vez faça algo por Novo Gama. É um absurdo você ser obrigado a viver em um local que não tenha saneamento básico, ter que andar pelas ruas esburacadas e passar por um monte de valas de esgoto e fora que estamos correndo risco de pegar alguma doença, bem como não termos a certeza de que nossos esposos que trabalham no serviço de limpeza pública ou em outros setores, voltarem para casa em segurança”, completou em tom de revolta.
Por falar em gari! A situação ainda é pior com esses servidores. Sem uniforme, calçados adequados e proteção para o rosto e mãos, esses profissionais se arriscam diariamente por uma “mixaria” que ao ter debitados os descontos, não chega a um salário mínimo. “Infelizmente só trabalho nesta profissão porque preciso criar a minha família, porém acho que não vou chegar muito longe porque sofro vários problemas de saúde por estar diariamente exposto ao lixo sem qualquer proteção”, contou um gari que não quis se identificar. Para ele, Novo Gama, precisa passar por uma transformação bem rápida. Além dos problemas que temos com a precariedade do sistema de limpeza, a segurança é outro fato que preocupa em muito a população. “A iluminação da cidade é precária e muitas ruas ficam completamente as escuras durante a noite e com isso aumenta o risco de assaltos e até mesmo de estupros”, disse.
Ele completa dizendo que outra situação negativa está em questão da coleta de lixo está totalmente fora do controle. De acordo ele, a coleta era feita três vezes por semana e atualmente nenhum morador tem a informação dos dias corretos e muitas vezes, estes têm que sair correndo atrás do caminhão ou despejar o lixo em locais públicos, pois o caminhão de coleta já passou em sua rua.
Fatos completamente diferentes do DF. A menos de 1KM do município a cidade de Santa Maria, por exemplo, possui um sistema de coleta eficaz e que atende aos requisitos exigidos por lei. Os garis só podem trabalhar uniformizados, com calçados adequados, luvas e dependendo do tipo de lixo que irá manipular, ainda são obrigados a usar máscaras, bem como só trabalham seis horas diárias. Seria bom que o Novo Gama adotasse pelo menos um terço do que acontece no DF.

Postar um comentário

0 Comentários