Page Nav

HIDE

Últimas notícias:

latest

CAMPANHA - COMBATE A DENGUE


Adolescente confessa participação na morte do agente da Polícia Civil do Distrito Federal

Adolescente confessa participação na morte do agente da Polícia Civil do Distrito Federal
Adolescente confessa participação na morte do agente da Polícia Civil do Distrito Federal
Na manhã deste último sábado (27) um agente aposentado da Polícia Civil do Distrito Federal foi encontrado morto por um morador em uma estrada de terra no Núcleo Rural Ponte Alta próximo à DF-290 no Gama (34 km de Brasília). Segundo Informações, a vítima identificada como Flávio Viana de Castro de 50 anos estava desaparecido desde a última sexta-feira (26) quando foi visto pela última vez na cidade. O veículo de Flávio, um VW Jetta de cor preta, havia sido encontrado abandonado em uma ponte sobre o Córrego Bengala com perfurações, manchas de sangue no banco e resíduos de extintor de incêndio. O distintivo, a carteira e o celular da vítima foram encontrados no interior do veículo. Apenas a arma de fogo do agente foi levada pelos assassinos. O corpo da vítima foi encontrado em seguida com uma perfuração na região da cabeça a cerca de 05 km de distância de onde o veículo foi deixado. Colegas de Flávio relataram que o agente encontraria com amigos em um bar que fica no Núcleo Rural. O policial civil se aposentou em agosto deste ano onde trabalhou na 14ª Delegacia de Polícia da cidade satélite do Gama e foi instrutor de tiros da Divisão de Operações Especiais da PCDF (DOE). Apesar de estar aposentado, o agente andava sempre armado. Cerca de 50 agentes da Polícia Civil estiveram no local do crime e uma área de mil metros foi isolada para a perícia técnica realizar os trabalhos de investigações. Um helicóptero também foi utilizado para fazer uma varredura no local. A família da vítima acompanhou toda a ação da equipe policial. Já na manhã deste domingo (28) um adolescente de 16 anos foi apreendido e confessou participação na morte do policial civil. De acordo com as confissões do menor, outros 02 homens, maiores de idade, participaram do crime. Eles teriam rendido Flávio no estacionamento do bar onde iria encontrar com os amigos. Em seguida o policial reagiu e foi alvejado por 03 disparos de arma de fogo realizado, segundo o menor, por um dos comparsas. Logo após, os criminosos deixaram o corpo em uma estrada de terra próximo ao bar e seguiram com o carro até perceberem o distintivo da Polícia Civil que pertenciam a Flávio. Ainda segundo o adolescente, eles jogaram o pó químico do extintor no interior do carro na tentativa de apagar vestígios de marcas que pudessem identifica-los e atiraram o extintor no córrego. A Polícia Civil investiga o caso e informou que já tem pistas sobre a identidade dos outros 02 criminosos envolvidos no possível latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Uma revolta se instalou na Polícia Civil de do Distrito Federal. Um sirenaço esta sendo organizado para ser feito na Esplanada dos Ministérios para pedir maior rigor nas punições e a redução da maior idade penal. “As policias do Brasil não aguentam mais, não aguentamos mais ver amigos, colegas e trabalhadores morrendo nas mãos desses bandidos e a gente não poder fazer nada, estamos virando boi de piranhas, tem policia morrendo pra todo lado e o governo assiste de camarote, o estado esta perdendo o controle e quem vai pagar caro por isso é a população brasileira.”  Disse um agente que pediu para não ser identificado. 






Fonte: Plantão Policial

Nenhum comentário




Latest Articles