Sobrinho tratado como filho esconde os corpos dos tios após matá-los com golpes de faca e barra de ferro


Em um dos casos, sobrinho é suspeito de matar tios adotivos

Sobrinho usou barras de ferro e faca para matar os tiosMontagem / Reprodução / TV Record

A Polícia prendeu nesta quinta-feira (28) um homem suspeito de matar os tios adotivos no Recanto das Emas (DF). Ele era tratado como filho pelas vítimas. A prisão ocorreu num bairro da Cidade Ocidental, na região do Entorno do DF.

Ele usou uma barra de ferro e uma faca para cometer os assassinatos que podem ter sido realizados na terça-feira (26). Os corpos do tio, de 51 anos, e da tia, de 66, estavam escondidos atrás do veículo da família e foram encontrados dois dias depois. Os três trabalhavam juntos como ambulantes no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

De acordo com o relato do suspeito a policiais que o abordaram, ele matou para roubar dinheiro dos tios que o adotaram para, segundo ele, pagar as despesas de casa.

Outro homicídio também foi registrado no Recanto das Emas. Eduardo Teixeira, de 29 anos, foi morto a facadas dentro de uma casa na quadra 604 da cidade. A vítima, natural de Januária (MG), morava de favor no local havia menos de duas semanas.

Segundo testemunhas, ele estava no portão da casa quando foi atacado por um homem ainda não identificado. O dono da casa afirmou não saber se a vítima tinha algum antecedente criminal.

— Ele disse que ia para a cidade natal dele, Januária (MG). Dizia ele que estava trabalhando em Cristalina (GO) e que estava recebendo seguro [desemprego]. Pediu para ficar aqui em casa alguns dias, mas não sabíamos se ele tinha antecedentes criminais.

A 27ª Delegacia de Polícia, no Recanto das Emas, investiga os casos.

O Distrito Federal já registrou diversos casos de assassinatos em família. Veja a seguir alguns casos que chocaram o DF.

Em setembro de 2014, foi preso um filho acusado de matar e enterrar o pai, no Entorno do Distrito Federal. O caso é mais uma tragédia de família registrada no DF. Entre os crimes do tipo ocorridos recentemente, um que chamou a atenção foi o do padrasto acusado de abusar sexual e matar o enteado de dois anos.

O Distrito Federal já registrou diversos casos de assassinatos em família. Veja a seguir alguns casos que chocaram o DFEm setembro de 2014, foi preso um filho acusado de matar e enterrar o pai, no Entorno do Distrito Federal. O caso é mais uma tragédia de família registrada no DF. Entre os crimes do tipo ocorridos recentemente, um que chamou a atenção foi o do padrasto acusado de abusar sexual e matar o enteado de dois anos

Um jovem de 22 anos foi preso suspeito de matar e enterrar a mãe, de 42 anos, em Águas Lindas (GO), cidade do Entorno do DF. De acordo com a Polícia Civil da cidade, o crime teria ocorrido no último dia 5 de agosto.   Inicialmente, o caso foi investigado como desaparecimento, mas a polícia começou a desconfiar do filho da vítima após o relato de uma vizinha de que ele teria discutido com a mulher no mesmo dia do desaparecimento.  Saiba mais sobre o caso

Em 2013, uma mulher foi acusada de matar o filho recém-nascido a tesouradas. Ela afirmou que cometeu o crime porque a criança se parecia muito com o pai, que a abandonou. Leia a matéria

Em Taguatinga (DF), um enteado matou seu padrasto a facadas após uma discussão familiar. O enteado e um amigo, que ajudou no crime, foram presos. Assista à reportagem

Um menino de nove anos morreu ao levar um tiro na cabeça de seu irmão, de 12, durante brincadeira com um revólver que o pai guardava em casa. O crime aconteceu em Ceilândia (DF), quando a mãe deixou os irmãos em casa para ir falar com uma vizinha. Saiba como foi

Um homem de 25 anos matou sua mulher, de 32, em Sobradinho (DF). Em seguida, ele se matou usando a mesma faca. O caso aconteceu após uma discussão do casal. Saiba como foi

O lutador de artes marciais Daryell Dickson Meneses Xavier, de 25 anos, foi acusado de matar o enteado de um ano e 11 meses após um suposto espancamento. O crime aconteceu quando a criança deu entrada em um hospital particular de Taguatinga com traumatismo craniano e uma fissura no ânus. Saiba mais sobre o caso



Fonte - R7/Distrito Federal

Postar um comentário

0 Comentários