Polícia prende homem suspeito de matar policial aposentado

O crime aconteceu na madrugada dessa segunda (8), em Sobradinho 2


Manuela Rolim 
manuela.rolim@jornaldebrasilia.com.br



O suposto autor do crime que matou o policial civil recém-aposentado Mário Robson Guedes, 53 anos, na madrugada da última segunda-feira, em Sobradinho II, foi preso na região, ontem. Por volta das 11h, Mateus Henrique dos Santos, 20 anos, foi encontrado pelas polícias  Civil e Militar do DF, em via pública, na AR 12.  

Segundo o delegado-chefe Rogério Henrique Rezende Oliveira, da 35ª Delegacia de Polícia (Sobradinho II),   contribuíram para as investigações algumas testemunhas do crime, que descreveram o perfil do suspeito. Uma delas, inclusive, teria encontrado o homem após o ocorrido.

 "Todas as pessoas que ajudaram na investigação estão muito fragilizadas. Elas foram ouvidas ainda na madrugada. As testemunhas fizeram uma descrição física do suspeito idêntica, o que ajudou no trabalho da polícia. Uma delas, inclusive, se encontrou com  Mateus depois que ele matou o policial civil e contou que ele disse ter 'acabado de fazer um cara' e que ainda estava com o carro da vítima”, declara Oliveira.

Portanto, continua o delegado, “não nos restam dúvidas de que ele é o autor do crime. Além disso, uma investigação mais técnica da polícia também comprova isso".

Carro
O crime aconteceu em um bar na QMS 30, ao lado de uma pizzaria, no Setor de Mansões de Sobradinho II, região marcada pelo registro de pequenos furtos e roubos.  

Por volta das 2h, o policial Mário Guedes estava acompanhado de duas amigas, quando o suspeito chegou armado, perguntando sobre o carro da vítima, um Toyota Corolla,   que estava estacionado na entrada do estabelecimento. 

Histórico violento
 Mateus tem passagem pela polícia por crime de violência doméstica contra a própria mãe.

Se condenado, ele vai responder pelo crime de latrocínio e poderá pegar de 20 a 30 anos de reclusão. 

O suspeito passou a noite na delegacia e, hoje, será encaminhado para a carceragem da Delegacia de Polícia Especializada (DPE).

Policial morreu na hora, com  só um disparo

De acordo com o delegado-chefe Rogério Henrique Rezende Oliveira, Mateus disparou contra o policial sem razão. "Assim que chegou ao local, o suspeito apontou a arma para a vítima, que levantou as mãos pedindo calma. Mateus perguntou para Mário se ele era policial, mas ele negou. Mesmo assim, o suspeito atirou no peito dele. Foi um único disparo. O policial morreu na hora", completa. 
 
Oliveira relata que, depois de balear o policial, Mateus pegou a chave do carro e fugiu. Pela manhã, o veículo foi encontrado abandonado na Quadra 10 de Sobradinho I, próximo ao Parque do Jequitibá. 
 
Negativa das acusações
 
Segundo o delegado, assim que foi preso, o suspeito negou todas as acusações. No entanto, ele informou onde estavam a arma utilizada para matar o policial, uma pistola 380 cromada, o aparelho de som do veículo roubado da vítima e um casaco, que ele teria sido usado no momento do crime. 
 
Os pertences foram encontrados em uma casa abandonada na AR12, em Sobradinho II. "O suspeito aparentava  estar sob efeito de drogas. Ele fez tudo sozinho, não teve nenhum comparsa, o que é incomum", afirma.


Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Postar um comentário

0 Comentários