Revelação de um segredo teria motivado adolescente a matar o irmão com facada em Sobradinho

Ele foi atingido no pescoço e chegou com vida em UPA

Do R7, com TV Record Brasília
Ela teria revelado que o irmão traiu a namorada Montagem / R7

A adolescente de 16 anos, suspeita de matar o próprio irmão com uma facada, afirmou, em depoimento à polícia, que o crime teria sido cometido após a revelação de um segredo dele. Durante um encontro da família em Sobradinho II (DF) no último domingo (7), ela teria revelado que o irmão, Washington de Souza Martins, de 19 anos, traiu a namorada durante uma festa.

Segundo a delegada responsável pelo caso, Alessandra Figueiredo, a jovem afirmou que depois que contou a história para a cunhada, ele a teria atacado com um chute e a derrubado enquanto amamentava o filho, de oito meses.

— Ele realmente ficou muito irritado, agressivo e teria dado uma 'banda' nela. Ela caiu no chão no momento que amamentava o filho de oito meses. Ela teria ido para a cozinha e ele foi atrás. Continuaram a discutir, entraram nas vias de fato e ela pegou uma faca do tipo peixeira e o atingiu na altura do pescoço.

Depois de ser esfaqueado, Washington conseguiu fugir para a rua, onde pediu a ajuda de um vizinho que o levou para à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Sobradinho. Ele chegou a ser reanimado, mas não resistiu aos ferimentos. De acordo com os parentes, depois de matar o irmão, a menor teria fugido para a casa da vizinha e se escondido embaixo da cama.

Tragédias em família: pais e filhos morrem vítimas de crimes dentro de casa.

A jovem e o irmão não moravam juntos, mas tinham o hábito de visitar o pai aos finais de semana. A família contou que eles sempre tiveram uma relação conturbada e que, quando moravam juntos, as discussões eram diárias.

A adolescente, que não tinha antecedentes criminais, é estudante, casada e tem um bebê de oito meses. O irmão, também sem passagens pela polícia, ainda estudava e trabalhava como ajudante de pedreiro. Em rápida conversa, o pai deles afirma estar sem chão.

— Perdi um filho e uma filha. Ela matou o outro. Foi isso. Acabou.

Levada para a DCA (Delegacia da Criança e Adolescente), na Asa Norte, ela foi apresentada ao núcleo de atendimento integrado. Em seguida, a jovem terá uma audiência com o Ministério Público na qual será decidido se haverá ou não internação.



Fonte - R7.com

Postar um comentário

0 Comentários