Casal é morto dentro de motel

Um duplo homicídio foi registrado na tarde desta terça, 6, no Motel Lago Azul, situado às margens da RSC 287, em Candelária. Tatiane de Oliveira Cortes, 29 anos, e Juliano Ederson Rodrigues Tavares, 26 anos, foram surpreendidos e alvejados a tiros dentro de um dos quartos do estabelecimento.


Conforme informações extraoficiais, as vítimas haviam chegado ao local por volta das 14h30. Cerca de 45 minutos depois, um homem armado arrombou a porta da garagem, subiu até o quarto e efetuou os disparos, matando ambos. Após, o autor enrolou uma camisa no rosto e fugiu em disparada até um automóvel branco, com placas de outra cidade, e não foi mais localizado.

A Polícia Civil e a Brigada Militar foram até o local e isolaram a área. Uma equipe do Instituto Geral de Perícias, de Santa Maria, esteve analisando a cena do crime. O trabalho foi finalizado por volta das 20h, com os corpos sendo removidos até o Departamento Médico Legal, de Santa Cruz do Sul.

Conforme as primeiras investigações, a principal suspeita é de crime passional. O suposto autor já foi identificado e preso pela polícia. Ele possui 35 anos e é sócio de uma funilaria no bairro Rincão Comprido.

Os velórios de Juliano Tavares e Tatiane Cortes aconteceram nessa quarta, 7, partir do meio-dia. Ele foi velado no Centro Comunitário do bairro Marilene e ela na Capela Santa Ana da Comunidade Católica. Os dois sepultamentos aconteceram às 17h do mesmo dia. Juliano foi sepultado no Cemitério Municipal do bairro Marilene e Tatiane no Cemitério Municipal de Candelária.

Suspeito de duplo homicídio se apresenta e alega legítima defesa

Antonio Moacir dos Santos afirmou 

ter agido em legitima defesa

O principal suspeito de cometer o duplo homicídio contra Juliano Ederson Rodrigues Tavares, 26 anos, e Tatiane de Oliveira Cortes, 29, era esposo da vítima e já está preso. Acompanhado do advogado Cléo Scortegagna, o empresário Antônio Moacir dos Santos, 35 anos, se apresentou na Delegacia de Polícia no final da tarde desta quinta, 8, para dar a sua versão dos fatos.

Após o depoimento, o delegado Rodrigo Marquardt da Silveira concedeu entrevista coletiva na qual repassou algumas informações sobre o depoimento do empresário. Conforme o delegado, em sua versão, Santos disse ter agido em legítima defesa. Conforme o delegado, o empresário afirmou ter recebido uma ligação anônima e que foi ao motel verificar a situação. Ao constatar o fato, o empresário disse à polícia que teria entrado em luta corporal com Tavares e, após, efetuado os disparos com o revólver, que supostamente seria da própria vítima. O acusado negou ter premeditado o crime e afirmou que não teve a intenção de matar as vítimas. Ao final, ele disse não saber onde estava a arma e que fugiu para a cidade de Canoas, onde permaneceu escondido até se apresentar à polícia.





Santos prestou depoimento por aproximadamente uma hora e 45 minutos. Após ouvir o suspeito, os policiais civis cumpriram um mandado de prisão preventiva expedido pela justiça e prenderam Santos. Por volta das 19h45, ele foi encaminhado ao Presídio Estadual de Candelária, ficando à disposição da justiça.





Fonte - Folha da Candelária

Postar um comentário

0 Comentários