Sem verbas, creches conveniadas do DF ameaçam fechar as portas

Aulas serão interrompidas nesta segunda; há repasses pendentes de 2015. GDF pagou apenas 8 de 95 creches; rede atende quase 11 mil crianças.

Do G1 DF


Creches que funcionam em convênio com o governo do Distrito Federal ameaçam fechar as portas a partir desta segunda-feira (22) por falta de repasses públicos. Os administradores afirmam que não têm dinheiro para custear despesas básicas com alimentação e contas de luz e água. O GDF reconhece que há atrasos com mais de 90% das instituições.

O Conselho de Entidades de Promoção e Assistência Social (Cepas), que representa as creches, tem 95 instituições associadas, mas diz que o número total é bem maior. As creches conveniadas atendem quase 11 mil crianças. Em nota à TV Globo, o governo disse que fez o repasse a oito creches e não informou prazo para quitar todas as dívidas.

A lista de faturas pendentes inclui pagamentos do ano passado, que deveriam ter sido depositados no início de janeiro. A direção da creche São Vicente de Paulo no Cruzeiro Velho, por exemplo, diz que precisará interromper as atividades pela primeira vez em 20 anos.

O convênio é firmado com a Secretaria de Educação e permite que os pais não tenham que pagar mensalidade. A creche atende 120 crianças e trabalha com 28 funcionários, mas diz não ter verba em caixa para pagar salários e fornecedores.

Preocupação
Na creche Beija-Flor, na QNB 15 de Taguatinga Norte, um aviso aos pais foi afixado no portão nesta sexta-feira (19). O cartaz diz que a entidade está fechada por tempo indeterminado. A autônoma Daniele Pazini diz que aguardou vaga por 10 meses para o filho, Vinícius, e agora não sabe como vai trabalhar.

"Agora, não sei. Infelizmente, a gente vai ter que deixar de trabalhar para ficar com a criança", diz. O pai, Paulo Cícero, também é autônomo e diz se preocupar com o desenvolvimento do filho, que estreou no ambiente escolar há uma semana. "Aqui ele tem acesso a outras crianças, ele se desenvolve mais. É ruim para ele, é ruim para a gente."

O problema se espalha por todas as regiões administrativas. A creche Cruz de Malta, na Asa Norte, comunicou aos pais que as aulas também serão interrompidas a partir esta segunda. Com o atraso nos repasses da Secretaria de Educação, 193 crianças deixarão de ser atendidas na unidade.


Fonte - G1/Distrito Federal

Postar um comentário

0 Comentários