Presos bandidos que trocaram tiros com a polícia em Novo Gama

Em ação rápida, policia prende homens que trocaram tiros com policias em Novo Gama-GO

A Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) da Polícia Civil deflagrou, nesta terça-feira (27), a 5ª Fase da Operação Specchio. A ação visa desarticular organizações criminosas envolvidas em explosões de terminais bancários.


Erivelton da Silva Souza, 33 anos, e Edson Porfírio dos Santos, 39, foram presos no Recanto das Emas na manhã de terça (27). Eles já tinham mandados de prisão preventiva decretados por conta da autoria da explosão de caixas eletrônicos do BRB de Samambaia. O crime ocorreu em 22 de novembro deste ano. Os policiais apreenderam duas pistolas Glock 9mm.

A ação teve que ser antecipada por causa de uma troca de tiros entre policiais e criminosos, ocorrida na segunda (26/12), no Novo Gama (GO). Na ocasião, a dupla presa nesta terça rendeu os investigadores, que trabalhavam descaracterizados. Os criminosos se identificaram como policiais e levaram a arma de um dos agentes.

A polícia reagiu e trocou tiros com os suspeitos. No total, cerca de 40 disparos. Um dos investigadores se feriu com os estilhaços das balas, mas não precisou ser levado ao hospital.

Os assaltantes fugiram e os policiais não conseguiram segui-los, porque um dos pneus da viatura foi atingido por um disparo. Desde a noite de segunda, os agentes da DRF intensificaram as buscas e conseguiram prender Erivelton e Edson no Recanto das Emas hoje. As armas usadas por eles também foram recolhidas.

Segundo o delegado-chefe da DRF, Fernando César Costa, a dupla estava em prisão domiciliar e tinha muitas passagens na polícia por crimes graves. “Foram beneficiados por uma lei que deixa os bandidos nas ruas e os cidadãos de bem presos em casa. Eles já roubaram, mataram e explodiram caixas”, ressaltou.

Modo de atuação
O nome da Operação Specchio (espelho em italiano) foi escolhido porque os criminosos colocavam dois explosivos nos caixas eletrônicos, um em cada lado, de forma espelhada. No total, as ações já prenderam seis criminosos. Mas a polícia suspeita que, pelo menos, a organização seja integrada por 20 pessoas. O grupo atua, principalmente, no Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais.

“Não há um líder. Existe um articulador, que geralmente conhece a região, e os criminosos que fornecem carros roubados para auxiliar a fuga, por exemplo”, contou o delegado. “Atuam quase como fantasmas na madrugada. Usam balaclava e luvas”, descreveu o titular da DRF.

Erivelton Souza e Edson dos Santos serão autuados por tentativa de latrocínio, porte ilegal de arma de uso restrito, arrombamento, receptação de veículo roubado, associação criminosa e corrupção de menores.


Fonte - Programa Madeirada

Postar um comentário

0 Comentários