Estudante é morta dentro de escola estadual em Alexânia, Goiás

Segundo delegada, jovem de 19 anos contou à polícia que disparou 11 vezes contra a vítima, de 16, por sentir 'ódio' da menor.

Por Murillo Velasco e Fernanda Borges, G1 GO e outras informações

Estudante é morta dentro de escola estadual em Alexânia, Goiás
A estudante Raphaella Novinski, de 16 anos, foi morta a tiros dentro de uma escola estadual em Alexânia, no Entorno do Distrito Federal, na manhã desta segunda-feira (6). Segundo a delegada Rafaela Wiezel, Misael Pereira Olair, de 19 anos, foi preso em flagrante logo após cometer o crime. Ela disse ao G1 que o suspeito afirmou ter disparado 11 vezes contra a vítima, por "sentir ódio" dela.

A imagem pode conter: 1 pessoa
Misael Olair o assassino
Conforme a delegada, Misael é um ex-aluno do Colégio Estadual 13 de Maio, local onde o fato ocorreu. Já a estudante cursava o 9º ano do ensino fundamental.

A investigadora acredita que o crime tenha sido passional. "Ele alega que é conhecido 'de longa data' da vítima, e que sentia muito ódio da menina. A partir do depoimento dele entendemos que ele tentou namorar com ela, mas foi rejeitado. Por conta disto resolveu comprar uma arma, adentrar na escola onde ela estava e ceifar a vida dela", disse.

Segundo a Polícia Civil, Misael usou uma máscara para invadir o colégio. A corporação diz que ele teve ajuda do comerciante Davi José de Souza, de 49 anos, que deu carona ao rapaz até a porta do colégio, ficou do lado de fora esperando e depois o ajudou na tentativa de fuga. O homem também foi detido.

Estudante Raphaella Novinski, de 16 anos, foi morta a tiros no Colégio Estadual 13 de Maio, em Alexânia, Goiás (Foto: Reprodução/Facebook)
Em nota enviada ao G1, a Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) informou que a estudante foi morta “logo depois do início das aulas” e que “foi a única alvejada”. Segundo o texto, logo após o crime a direção tomou todas as providências chamando a Polícia Militar e comunicando o fato à família da vítima.

Ainda segundo a nota, “três psicólogas e uma assistente social da Coordenação Regional de Educação, Cultura e Esporte [Crece], de Anápolis, já foram deslocados para Alexânia para apoiar a equipe da escola, alunos e familiares. Uma equipe da Seduce também se deslocou para o colégio”.

A Seduce ressaltou, ainda, que “a escola dispõe de câmeras no pátio e dois vigias noturnos para promover a segurança”. Por fim, a secretaria lamentou o crime “e informa que trabalha em um esforço contínuo para manter a paz e a fraternidade no ambiente escolar”.

O advogado de Misael já se apresentou na delegacia para acompanhar a oitiva dele. A reportagem ainda não conseguiu contato com ele para que comente o caso.

Polícia diz que jovem armado usou máscara para invadir escola em Alexânia, Goiás, e matar aluna (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Crime

O crime ocorreu às 8h15 desta segunda-feira. De acordo com a delegada, Misael entrou na escola, invadiu a primeira sala de aula do corredor, mas não encontrou a vítima. Em seguida, ele entrou na segunda sala, foi direto ao local onde a adolescente estava e disparou vários tiros contra ela, que morreu no local.

"Ele nos disse que foram 11 disparos, todos eles no rosto da menina. Tudo isso reforça o indício de crime passional, ele tinha estudado na escola no ano passado e tinha guardado este sentimento de ódio. Nós já ouvimos o depoimento dele, agora vamos seguir os procedimentos", afirmou Rafaela, que contou que suspeito tentou fugir logo após o crime, mas foi preso minutos depois pela Polícia Militar.

Assassino preso em flagrande pela polícia do município já na delegacia de polícia
Em nota, a assessoria de imprensa da corporação destacou que "foi informada dos disparos de arma de fogo na escola, se deslocando imediatamente até o local". Logo depois, segundo a PM, "Misael Pereira tentou fugir em um veículo Ford Escort, mas foi abordado e preso em flagrante pelos militares. Com o detido, foi apreendido um revólver calibre .32".

A delegada ressaltou que o jovem vai ser autuado em flagrante por homicídio qualificado e deve ser encaminhado ao presídio, onde ficará à disposição do Poder Judiciário.

O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado e já retirou o corpo da estudante do colégio.

Desespero

O tio da estudante disse, em entrevista à TV Anhanguera, que chegou “desesperado” ao colégio logo após o crime, e que viu a sobrinha dando “os últimos suspiros”.

Roberto Pereira da Silva contou que era ele quem criava a adolescente, e que nunca soube de nenhuma ameaça ou algo que pudesse em risco a vida da sobrinha.

Delegacia de Polícia Civil para onde o suspeito de atirar em estudante foi levado, em Alexânia, Goiás (Foto: Maryá de Podestá/TV Anhanguera)

Dos inúmeros casos de violência contra a vida humana e contra a mulher que tive conhecimento nos últimos dias, os que mais me chocaram pelo sofrimento das vítimas, o grau de pervesidade e frieza de seus algozes, foram esses:

01 – Caso Camila Abreu, em Teresina-PI (Jovem universitária de 21 anos que foi assassinada pelo namorado, um capitão da Polícia Militar por ciúmes. O corpo só foi encontrado uma semana depois após ele ser preso e confessar o crime).

02 – Alanna Ludmila, em Paço do Lumiar-MA (Criança de 10 anos que foi estuprada e morta pelo ex-padrasto que invadiu sua casa enquanto sua mãe estava ausente. Ficou desaparecida por dois dias e o corpo foi achado por vizinhos enterrado no quintal de sua própria casa).

03 - Kelly Cristina Kadamuro (Jovem de 22 anos que morava em Guapiaçu-SP. Foi morta e teve os seus pertences roubados durante uma viagem com destino à Itapagipe-MG, após dá carona a um foragido da justiça beneficiado com saída temporária. Kelly participava de um grupo de caronas de WhatsApp).

04 – O mais recente, o da estudante Raphaella Novinski, de 16 anos, foi morta com 11 tiros no rosto dentro de uma escola estadual em Alexânia, Goiás, na manhã desta segunda-feira (06/11), por um ex aluno da escola que não aceitava o fato de Raphaella não querer namorar com ele.

Por esses e muitos outros casos semelhantes é que se discute a pena de morte no Brasil.



Fonte - G1/TV Anhanguera com outros sítios de notícias


Postar um comentário

0 Comentários