Preso no Maranhão comandou por telefone roubo a posto de saúde do DF, diz polícia

Criminosos usaram maçarico para abrir caixa eletrônico, mas não conseguiram. Grupo fugiu com armas e coletes de seguranças da unidade.

Por G1 DF

Caixa eletrônico que suspeitos tentaram arrombar na UBS 3 do Riacho Fundo, no DF — Foto: PCDF/Divulgação

Uma investigação da Polícia Civil apontou que a tentativa de roubo ao caixa eletrônico da Unidade Básica de Saúde 3, no Distrito Federal, foi comandada por um preso do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no Maranhão. A invasão foi em 11 de agosto.

Na época, criminosos renderam e amarraram o vigilante que estava de plantão no posto de saúde do Riacho Fundo. Na ação, o grupo usou um maçarico para abrir o equipamento e, como não conseguiu, os homens fugiram levando a arma e o colete à prova de balas do vigia.

Segundo a polícia, as ordens para o assalto partiram do celular de Romário Carvalho de Moura. "Ele comandou a empreitada por telefone, ensinou ao grupo como arrombar o caixa e forneceu os equipamentos", afirmou a corporação.

UBS nº 3, no Riacho Fundo — Foto: PCDF/Divulgação
O G1 teve acesso à conversa entre os suspeitos. No áudio – de dentro do presídio, segundo a polícia – Romário ensina a um comparsa como agir e ter acesso ao dinheiro do caixa eletrônico. A reportagem optou por não divulgar os arquivos por conter informações detalhadas sobre o ato.

Até esta quarta-feira (4), pelo menos cinco pessoas tinham sido presas. O grupo é investigado por praticar e coordenar as ações de roubo. Dois homens estão foragidos.

Os agentes também investigam a participação da quadrilha no roubo ao caixa eletrônico na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF), em Brasília. O crime foi em junho.

A investigação

A investigação apontou que, pelo menos, 10 pessoas estão envolvidas no assalto ao posto de saúde do Riacho Fundo. Veja a relação:

Diego Ângelo da Silva Martins (preso)
Wender Pereira Coimbra Junior (foragido)
Romário Carvalho de Moura (preso no Maranhão)
Herica de Santana (presa)
Luciana Aldes de Sousa (presa)
Frederico Guimarães Filho (foragido)
Helida Maria Ferreira Andrade (presa)
Manoel Isac de Almeida (preso)
Marcos Rudyero Ramos de Almeida (preso)
Suspeito não identificado

Entre os suspeitos estão os três comparsas que anunciaram o roubo na unidade, duas mulheres que eram responsáveis pela distribuição das ferramentas usadas na ação, um casal que fornecia as peças ao grupo e o mentor do crime, preso no Maranhão.

Ainda de acordo com a polícia, Manoel Isac de Almeida – preso em 29 de agosto – já tinha sido detido por crime semelhante. Ele é suspeito de ataques a caixas eletrônicos em 2016. Dessa vez, ele foi detido ao lado do filho, Marcos Almeida, quando os dois deixavam o Centro de Progressão Penitenciária da Papuda, em Brasília.


Fonte - G1/DF

Postar um comentário

0 Comentários