O vereador teve o mandado de prisão expedido na manhã de ontem (24) mais ainda não foi localizado.


A Polícia Civil de Goiás realizou operação na manhã de hoje, 24/09, que visa o cumprimento de quatro mandados de prisão preventiva em desfavor de servidores do sistema penitenciário goiano, sendo dois servidores concursados e dois servidores temporários. 

A ação visa combater organização criminosa denominada "A Firma", que favorecia a venda de fugas e favorecimento na transferência de presos no entorno de Brasília, na cidade de Luziânia/GO. 

Até o momento, dois mandados de prisão foram cumpridos e outros dois servidores são considerados foragidos. Segundo o Delegado que está à frente da operação, há cerca de quatro meses a Delegacia de Combate aos Crimes Patrimoniais do Estado de Goiás em Luziânia GEPATRE, o acusado já vem sendo investigados há muito tempo, o Delegado ressaltou que o que mais chamou a atenção desta organização criminosa foi o número de fugas que vinha acontecido nas prisões do nosso entorno, como no Centro de Internação Socioeducativo conhecido como CIS e CPP Centro de Prisão Provisória de Luziânia.

A Polícia Civil conseguiu identificar quatro servidores do Sistema Prisional do Estado, lotados em Luziânia, que tinha uma grande participação neste lucro. Dois dos investigados foram presos e dois conseguiram fugir, a investigação ainda está em curso e no de correr do processo o Delegado disse que poderá ter o desdobramento ou segunda fase. 

A operação ainda está em curso, dois homens ligados a Parlamentares Municipais do entorno foram conduzidos até a Delegacia acusados de terem participação no esquema fraudulento sendo um Vereador de Novo Gama, acusado de receber dinheiro e outros homens ligados à Prefeitura de Luziânia, ambos não tiveram os nomes revelados. 

A qualquer momento maiores informações. Inclusive segundo o delegado responsável pelas investigações Dr. Rafael Abrão, não será possível detalhar mais informações para não atrapalhar as investigações já que ainda pode haver desdobramentos no caso. Já em um áudio enviado através do whatshapp ao repórter Gláucio Montana do programa Na Policia e nas ruas de Fred Linhares, que o Madeirada News teve acesso, o delegado pede cautela nas divulgações do caso. 

A cautela se deu devido o delegado esperar reunir mais provas contundentes para ser apresentado ao Ministério Público, como processo se encontra em trânsito, existe a possibilidade de acusados no processo conseguirem provar a sua inocência, por isso frisou o delegado, cautela muita cautela nas informações, não podemos ser levianos muito menos trabalhar de forma errada disse o delegado ao repórter Gláucio Montana. 

A equipe de jornalismo do Madeirada News tentou contato com o vereador Cristovam Machado através do seu whatshapp na manhã de ontem (24), e foi respondida algumas horas depois pelo vereador que se declarou inocente das acusações e se diz vítima de perseguição politica, segundo o vereador, no dia da fuga ele estava em seu primeiro dia de trabalho na unidade prisional, ainda na mensagem o vereador diz que vai provar a sua inocência, mas não disse onde estava ou se iria se apresentar na delegacia já que esta sendo considerado foragido. 

O vereador é considerado um vereador polêmico, e um dos mais combatentes ao mandato da prefeita Sônia Chaves, inclusive com varias denúncias feitas por ele contra a prefeita na policia Federal e no ministério publico da cidade.

Fonte - Madeirada News