Elas dividiam a mesma placenta e estavam com o desenvolvimento comprometido 


Foi um sucesso a cirurgia intrauterina para salvar a vida das gêmeas que dividem a mesma placenta e estavam com o desenvolvimento comprometido devido a um problema chamado Síndrome de Transfusão Fetofetal. Trata-se de quando um dos fetos recebe mais sangue do que o outro. A cirurgia (fetoscopia) aconteceu na manhã deste domingo (22), no Hospital Materno-Infantil de Brasília (Hmib), e foi realizada pela técnica “laser terapia”, em que o canal de comunicação dos vasos sanguíneos entre os dois fetos foi separado. 

A paciente de Aparecida de Goiânia, Karla Sarah da Silva, 23 anos, esteve consciente o tempo todo e pôde acompanhar tudo através de monitor de vídeo. Ela já foi encaminhada para a enfermaria e está com alta prevista para a próxima segunda-feira (23). 

“Estou ótima, deu tudo certo. Não senti nada, foi bem tranquilo. Agora só falta esperar o dia do nascimento e escolher os nomes certinhos, já que os trocamos algumas vezes”, anima-se a mãe. 

“A cirurgia foi tranquila, bem-sucedida. As conexões sanguíneas foram separadas, conforme havíamos planejado. Até as bebês ajudaram, mantendo-se quietinhas para que o procedimento pudesse ser o sucesso que foi”, explica a médica Danielle do Brasil, uma das responsáveis pela cirurgia. 

“O Hmib, mais uma vez, saiu na frente dentro da sua especificidade e do diferencial que oferecemos para a rede. É a primeira vez que uma cirurgia dessa é feita pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Graças à competência dos nossos profissionais de ponta, como a doutora Danielle do Brasil, o doutor Marcelo Filipo e uma equipe diferenciada conseguimos salvar a vida das gêmeas, e também vamos proporcionar à mãe mais tranquilidade para chegar até o final da gestação. Estamos todos bastante felizes e satisfeitos com o resultado da cirurgia”, conclui o diretor do Hmib, Rodolfo Alves.

Fonte - Agencia Brasília