Ação de voluntários promove reflorestamento do Parque Ecológico de Santa Maria

Foto Ascom RA XIII

Aos poucos a história do Parque Ecológico de Santa Maria começa a se tornar realidade e para a felicidade da população, a Administração Regional de Santa Maria, mais uma vez, mostra que está preocupada com a causa e, em parceria com associações, comunidade e lideranças locais, promove um dia de plantio de mudas para fortalecer ainda mais o projeto que está a cada dia mais próximo da realidade.

Na manhã desse domingo (6) data em que se comemora o “Dia Mundial do Plantio de Árvores”, acompanhada do vice-presidente (Túlio) e técnicos dos Ibran, professores, comunidade, além de algumas pouquíssimas lideranças locais (6 ao todo), a administradora da cidade Marileide Romão, pôs a mão na massa e participou do plantio de aproximadamente 130 mudas de árvores nativas do cerrado. 

Foto Ascom RA XIII

Participaram ainda do evento as associações Serpajus e Tempo de Plantar que participam de projetos semelhantes e em Santa Maria estiveram sempre presentes em todas as ações do tipo. A iniciativa ainda contou mais uma vez com o empenho do técnico ambiental e liderança comunitária da cidade, Salvador Gomes (Sassá). 

Salvador Gomes da Silva (Sassá) -  Foto SantaOnline

O projeto de implantação do Parque Ecológico de Santa Maria iniciou ainda na gestão da ex-administradora Maria do Socorro Lucena e de lá para cá, muitas benfeitorias aconteceram, sempre contando com a iniciativa de Sassá e apoio da Administração Regional, de órgãos governamentais e associações de classe. 

Foto Ascom RA XIII

Foi na gestão do ex-administrador Ricardo Nascimento que a área ganhou cercamento em toda a sua extensão, mas em virtude da ação de vândalos, toda a cerca foi furtada, sendo que boa parte, adquirida de forma criminosa por pessoas dos arredores e até mesmo de moradores de Santa Maria. 

Foto Arquivo

Na gestão do ex-administrador Hugo Gutemberg, enfim foi lançada a pedra fundamental para a implantação definitiva do parque com a primeira autorização ambiental para a implantação de infraestrutura na área. A partir desse documento foram executadas a instalação de dois equipamentos de ginastica, dois Pontos de Encontros Comunitários (PEC), construção de 5km de calçadão compartilhado para caminhada e ciclovia, implantação de abrigo de ônibus exclusivo e pôr fim, foi apresentado para a comunidade o Termo de Referência (documento que baliza as ações em área ambiental) em evento com as presenças do secretário geral do Instituto Brasília Ambiental (IBRAM), Ricardo Roriz, Secretaria de Meio Ambiente e aproximadamente 1000 pessoas, isso em meados de dezembro de 2017. Nesse período também aconteceu uma das maiores ações no parque, quando foram plantadas mais de 8 mil mudas de árvores nativas do cerrado e mais uma vez, Sassá esteve à frente de toda a execução do projeto de reflorestamento, contando com o apoio maciço da equipe da Administração e dos alunos de várias escolas públicas da cidade. 

Foto Ascom RA XIII

Já na atual gestão, com a administradora Marileide Romão, o parque ecológico voltou a ter atenção especial do poder público. Ao lado de Sassá, a Administração Regional está empenhada na continuidade das benfeitorias no parque. Antes, porém, em meados de março deste ano foi publicado no Diário Oficial do DF, o Plano de Manejo do parque, elaborado única e exclusivamente do IBRAN, com sugestões da comunidade, ou seja, sem apadrinhamento político de cunho eleitoreiro. com a aprovação do projeto que abre caminho para definir o planejamento com base em uso sustentável daquela unidade de conservação. 

De acordo com levantamento, em breve o GDF irá iniciar um grande projeto de transformação da área em um verdadeiro parque ecológico, com a instalação de mais Pontos de Encontros Comunitários (PEC), construção de parquinhos e pista de corrida, instalação de lixeiras, etc., excluindo de todas as formas intervenção de terceiros no apadrinhamento do feito (apropriação intelectual indevido por, principalmente, parlamentares de momento), deixando claro que todas as benfeitorias são exclusivas do poder executivo, ou seja, obras realizadas pelo GDF. 

Enquanto isso, equipes de voluntários continuarão o processo de reflorestamento do local, sempre com o apoio da administração local. 

Ribeirão Santa Maria 

Foto - Tempo de Plantar

Outro trabalho de manejo ambiental realização pelos voluntários, em parceria com a Administração Regional, está acontecendo às margens do Ribeirão Santa Maria, aonde, nos últimos quatro anos, já foram plantadas mais de 1500 mudas de árvores nativas do cerrado de várias espécies. De acordo do Salvador Gomes, está ação é necessária devido a necessidade de fortalecimento do terreno na sua base, evitando assim, principalmente as erosões causadas por ações do tempo. 

No último sábado (28), a Serpajus, Administração Regional e demais voluntários intensificaram suas ações às margens do ribeirão aonde promoveram o plantio de várias espécies de árvores. De acordo com a administradora Marileide Romão, a ação irá continuar e o órgão estará à disposição para auxiliar em todas as ações de preservação do meio ambiente. 

Fonte - Agencia Satélite

Postar um comentário

0 Comentários