Page Nav

HIDE

Últimas notícias:

latest

CAMPANHA - COMBATE A DENGUE


CLIMA - Após pingos na quinta, DF registra chuva em várias cidades nesta sexta

As regiões de Taguatinga, Vicente Pires, Águas Claras, Núcleo Bandeirante, Samambaia e Ceilândia registraram precipitações nesta sexta

Matheus Veloso/Metrópoles

Depois de os moradores de Planaltina experimentarem o gostinho do fim da seca, residentes de pelo menos seis regiões do Distrito Federal tiveram a satisfação de ver a chuva voltar à capital. No fim da tarde desta sexta-feira (16/9), Taguatinga, Vicente Pires, Águas Claras, Núcleo Bandeirante, Samambaia, Ceilândia e Recanto das Emas registraram precipitações.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) previu chuva, de forma isolada, para essa quinta-feira (15). A previsão se concretizou com pingos d’água em Planaltina. Agora, as chuvas se manifestaram de forma mais generalizada.

Veja imagens:




A empregada doméstica Maria da Silva, 61 anos, pegou emprestado o guarda-chuva do porteiro para sair do trabalho no fim do expediente desta sexta. “Eu prefiro chuva; sol só pra secar roupa”, afirmou.

Já a auxiliar de serviços gerais Maria Gorete Ferreira, 53, ficou surpresa com o fim da estiagem. “Fiquei muito surpresa com essa chuva. Estava muito quente, inclusive estou um pouco gripada devido a essa mudança de clima”, disse a mulher. “Acho bom que chova um pouco mais para abrandar esse calorão, a seca e as queimadas, né”, disse.
Maior seca da história

Brasília bateu recorde de maior período de estiagem dos últimos 52 anos, com 131 dias sem chuvas, nessa quinta-feira (15/9). Considerando-se, porém, todo o DF, o intervalo é de 121, segundo o Inmet. No fim de semana, há previsão de novos registros, ainda em áreas isoladas. Volumes maiores e em mais regiões da capital federal devem ocorrer a partir da última semana de setembro.

A expectativa dos brasilienses é de que a precipitação ajude a aliviar os recordes de temperatura no ano. Na quarta-feira (14/9), por exemplo, os termômetros marcaram 35,2ºC, o maior registro de 2022 até o momento. A umidade relativa do ar ficou abaixo de 12%.

A falta de chuva impulsionou, ainda, a queda no volume de água no reservatório do Descoberto — principal responsável pelo abastecimento hídrico do DF —, que atingiu 51,8% na quinta-feira (15/9), segundo a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa).

Apesar do percentual em queda, o presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), Pedro Cardoso, disse que o DF não terá falta de água, como ocorreu há cinco anos.

Fonte - Metrópoles

Nenhum comentário




Latest Articles