SE TEM FOGO – Chama o Erivaldo! Morador de Santa Maria assume a Federação Brasiliense de Futebol

Santa Maria mostra cada vez que tem pessoas capazes de administrar o poder público com lisura e competência. Pela segunda vez, um morador da cidade é “convocado” a assumir um cargo importante na esfera pública do Distrito Federal. A primeira foi quando a cidade se viu atolada em escândalos de supostos desvios de recursos públicos e fraude em licitações, que acarretou em processos administrativos contra dois ex-administradores. Assim, o GDF não viu outra alternativa a não ser convidar o morador Erivaldo Alves Pereira a assumir o cargo de Administrador Regional da cidade para poder recolocar a “casa em ordem”.

Desta vez, Erivaldo assumiu a presidência da mais importante instituição esportiva de Brasília, a Federação Brasiliense de Futebol. Tudo aconteceu depois da destituição do então presidente, Jozafá Dantas, ocorrido no mês passado por decisão da maioria dos clubes filiados, uma vez que foi acusado de corrupção durante a sua gestão. Ao assumir a presidência, Erivaldo apresentou uma preocupante realidade pela qual atravessa a federação. 

Ele abriu o verbo e disse que a saúde financeira da entidade está bastante prejudicada, consequência da má gestão que vinha sendo praticada e que o rombo é maior do que se esperava. Todavia, deixou claro que iria buscar mecanismos para solucionar a crise e evitar um rombo ainda maior, se referindo, somente a um dos compromissos que era o de saldar a folha de pagamento que estava prestes a ser fechada no montante acima dos R$ 100 mil, sendo que a receita não chegava aos R$ 61 mil, bem como o saldo em conta naquele momento era de apenas R$ 12 mil. “A minha preocupação é que neste momento a conta não fecha e este compromisso, em especial, não pode ser adiado”, informou.

A CBF repassa mensalmente à FBF, a quantia de R$ 50 mil. A entidade local ainda tem mais R$ 12 mil de receita que recebe de alugueis de salas no Plano Piloto.

Além de encontrar uma maneira para solucionar as contas, a atual diretoria, liderada por Erivaldo Alves, tem vários outras pendências para serem urgentemente resolvidas, entre as quais, saldar o débito com a arbitragem que ultrapassa a casa dos R$ 60 mil, correndo o risco de os árbitros não atuarem na segunda divisão do Candangão.

Para tentar enxugar a folha, Erivaldo destituiu vários servidores da Federação que ocupavam cargos por indicação e outros profissionais que eram contratados com carteira assinada estão cumprindo férias coletivas.

Sem ter grandes expectativas, Erivaldo diz que a diretoria terá de trabalhar unida a fim de colocar a “casa em ordem”. “Não será fácil diante da crise que encontramos. Todavia, sempre gostei de desafios e esse, eu tenho a certeza de que junto com a diretoria iremos corrigir aos poucos, até o final do nosso mandato”, enfocou.

Erivaldo Alves mostrou-se confiante e disse que vai cumprir o mandato até 30 de março do ano que vem, quando haverá nova eleição, com “ética e lisura”, quesitos que sempre fizeram parte da sua vida. “Garanto a vocês que tentarei ser o mais transparente possível e tentarei, juntamente com a diretoria, recolocar a FBF nos trilhos. Após isso, ao findar do meu mandato, não serei candidato na próxima eleição. Estarei muito feliz se conseguir “arrumar a casa” e entregar a Federação no próximo dia 30 de março, data do meu aniversário, numa situação bem melhor do que encontramos”, finalizou o presidente.



Fonte - Agencia Satelite

Postar um comentário

0 Comentários