Erro em atestado de óbito atrasa velório de piloto do DF morto no AM

Documento diz que corpo seria velado em Manaus. Família espera decisão judicial para liberação do velório em Taguatinga, ainda na tarde desta segunda.

Por G1 DF

O piloto de Brasília Wellington Faustino em uma aeronave (Foto: Arquivo Pessoal)

Um problema burocrático atrasou o velório do piloto brasiliense Wellington Faustino, de 41 anos, que morreu em um acidente de avião no Amazonas na última sexta (23). Segundo a família, o atestado de óbito informava que o piloto seria velado em Manaus. O corpo chegou ao Distrito Federal por volta das 9h, mas até as 14h, parentes ainda tentavam uma liberação da Justiça para prestar as últimas homenagens.

O velório estava marcado para as 10h, e o sepultamento, para as 18h, no cemitério Campo da Esperança de Taguatinga. No fim de semana, familiares de Faustino viajaram a Manaus para liberar o corpo, no Instituto Médico Legal (IML). O outro tripulante da aeronave deve ser velado no Acre.

Faustino era casado com Janaína Marques, que está grávida de 7 meses. Ao receber a notícia, a mulher passou mal e foi hospitalizada. Apesar da fragilidade, ela está fora de perigo e deixou o hospital nesta segunda para as cerimônias.

O aviador era o copiloto de uma aeronave de pequeno porte, modelo Baron 58 que desapareceu dos radares após decolar de Tefé, a 575 km de Manaus, com destino a Tabatinga, na sexta.

Outro tripulante e um passageiro morreram no acidente. O único sobrevivente foi o passageiro Roberval Moraes Jardim que segundo informações do Corpo de Bombeiros do Amazonas teria sido encontrado por indígenas da região. Ele foi internado no hospital municipal de Tabatinga.


Fonte - G1/Distrito Federal

Postar um comentário

0 Comentários