Após caso de caxumba, visitas em ala da Papuda só devem ser retomadas no dia 11

Preso foi diagnosticado com o vírus em uma das alas, no fim de dezembro. Quarentena vai até sábado, e visitas desta semana foram canceladas.

Por G1 DF
Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal. (Foto: Roosewelt Pinheiro/ABr)

O governo do Distrito Federal anunciou nesta quinta-feira (5) que as visitas a uma das alas do bloco D do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, devem ser retomadas a partir do dia 11. Na primeira semana do ano, a presença de parentes foi suspensa porque um dos presos foi diagnosticado com caxumba.

A quarentena vai até este sábado (7), segundo o governo. Como as visitas acontecem sempre às quartas e quintas-feiras, o isolamento preventivo levou a administração do complexo a isolar a ala C do Bloco D da Penitenciária do Distrito Federal (PDF) 1. O setor tem 250 presos.

Além dos familiares, os presos também não puderam receber visitas de advogados, oficiais de Justiça e policiais. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o isolamento segue parâmetros da Secretaria de Saúde para evitar a disseminação da doença.

Um surto de caxumba foi registrado em fevereiro de 2016 na penitenciária. A doença havia sido identificada em 69 internos do Centro de Detenção Provisória (CDP) e em cinco pessoas no Centro de Internamento e Reeducação (CIR), incluindo uma servidora.

Caxumba

A caxumba é uma doença provocada por um vírus da família paramyxovirus, caracterizada principalmente pelo inchaço das glândulas que produzem saliva que ficam nas laterais do pescoço, abaixo da mandíbula.

Febre, calafrios, dores de cabeça, musculares – ao mastigar ou engolir – e fraqueza são os sintomas mais comuns da caxumba. A doença também é caracterizada pelo aumento de glândulas salivares, que fazem o rosto inchar.

A incubação do vírus (período de contaminação até aparecer os primeiros sintomas) pode variar de 12 a 25 dias. Em média, aparece por volta dos 16 a 18 dias.

Transmissão

A caxumba é transmitida por meio de gotículas de saliva de pessoas infectadas. Como não existe tratamento específico para a doença, a melhor forma de combate é a vacinação ainda quando criança. A doença tem maior circulação no período de temperaturas mais baixas, como na primavera e inverno.

Na maioria das vezes a caxumba produz sintomas como febre, calafrios, dores de cabeça (ao mastigar ou engolir) e fraqueza. Uma das principais características da doença é o inchaço no pescoço e rosto.


Fonte - G1/Distrito Federal

Postar um comentário

0 Comentários