Videos: Chuva deixa Centro de Ensino Fundamental 01 do Gama alagado

Goteiras nas salas de aula e nos banheiros mostram a falta de manutenção no local. Baldes e lixeiras foram espalhados por vários pontos para tentar, ao menos, controlar a água.


Alunos do turno vespertino do Centro de Ensino Fundamental 01 do Gama tinham acabado de chegar quando uma forte chuva obrigou os professores a interromper as atividades. Com diversas telhas da instituição quebradas, a chuva alagou o pátio da escola. Goteiras nas salas de aula e nos banheiros mostram a falta de manutenção no local. Baldes e lixeiras foram espalhados por vários pontos para tentar, ao menos, controlar a água.

Segundo a professora Ana Paula Andrade, que estava na sala de aula, ela já esperava que isso poderia acontecer, já que no turno matutino o problema já havia se repetido. “Eu estava passando uma revisão para prova. Não teve como conter os vazamentos, a chuva estava muito forte e eu tive que retirar imediatamente os alunos porque eles já estavam se molhando. Além dos materiais e carteiras da sala”, afirma.

A escola foi inaugurada em outubro de 1972, e nunca passou por uma verdadeira reforma, segundo o diretor Oswaldo Azevedo. “Até hoje, a escola teve apenas ‘maquiagens’ para continuar em funcionamento. A estrutura é velha e não aguenta muita coisa. O problema é antigo. Toda vez que chove, a cena se repete”, informou o diretor. A instituição ainda corre risco de ter as atividades interrompidas, caso as chuvas continuem fortes. “Nós não sabemos se vamos ter condições de ter aula até o fim do ano letivo, se a chuva continuar assim ou ficar ainda mais forte”, concluiu.

A professora Delany Fernandes, de 43 anos, também apontou um dos problemas da instituição. “O banheiro está em situação de emergência e precisa de grandes reparos. Toda vez que chove é o mesmo problema. Hoje, a água estava escorrendo pelas lâmpadas”, afirmou.



Os vidros das janelas das salas estão quebrados, alguns boxes dos banheiros não tem porta, nem vaso sanitário, e os equipamentos estão velhos e enferrujados. Segundo o diretor, a escola ganhou alguns equipamentos de ar-condicionado, mas ele preferiu não instalá-los por conta da fiação que não estaria apropriada. Segundo Azevedo, todos os problemas da escola já foram repassados para Secretaria de Educação, mas até agora não obteve resposta. Um engenheiro foi à escola e fez um levantamento de quantas telhas precisariam ser trocadas. “Como a gente está em um período de chuvas, essas era uma das coisas que precisava ter sido feita com urgência”, contou.


Fonte: JBr. / Lucas Móbille

Postar um comentário

0 Comentários