Disputa acirrada por Santa Maria

Cadeira de administrador da cidade rende discórdia, brigas e muito falatório. Correligionários de postulantes ao cargo usam redes sociais para várias ações, menos união em torno do propósito. 


O principal cargo político de Santa Maria, o de Administrador Regional está dando o que falar nas redes sociais da cidade e demais do Distrito Federal. Isso após o governador eleito Ibaneis Rocha declarar que haverá participação popular no processo, aonde será confeccionada uma listra tríplice para a escolha do cargo. 

Tão logo foi noticiado, postulantes ao cargo, com ou sem a menor chance, se anteciparam e saíram a campo em busca de apoio. Todavia, muitos correligionários desses, esqueceram da cordialidade e o respeito, que em muitos casos, foram deixados de lado e uma guerra campal se instalou pelos corredores da cidade. 

Os poucos que não se permitiram entrar nessa briga estão sendo bombardeado por “correligionários” que, pelo que se parece, estão tentando garantir “uma boquinha” numa eventual indicação dos seus postulantes. Pessoas que nem mesmo moram ou possui qualquer identidade com Santa Maria, entraram na briga para depreciar lideranças locais que se enquadram nos critérios técnicos para administrar a cidade. “É o caso de uma pessoa que teve a candidatura à Câmara Legislativa cassada, ou seja, não conseguiu sequer ser candidato, que não é morador da cidade, mas, que insiste em depreciar alguns dos postulantes com insinuações grosseiras e sem contexto, e que chegam a causar discórdia até mesmo entre pessoas que nada tem a ver com o pleito”, informou uma liderança local. 

Das indicações mais certas, o perito da Polícia Civil Alceu Prestes de Mattos e o Conselheiro Tutelar Hessley Santos são as pessoas que possuem maiores chances. O perito por ter vasta experiência em administração pública, tendo em vista já ter passado por Santa Maria ocupando os cargos de Chefe de Gabinete e Diretor de Obras Públicas, bem como, com passagens pelo SCIA/Estrutural, com sendo administrador, além de Subsecretário de Política Habitacional. Alceu aceitou o convite de participar do processo após lideranças, pioneiros, empresários e parte da comunidade fizessem o convite durante uma reunião. 

Por sua vez, a Hessley possui bastante simpatia junto à comunidade pelo trabalho que vem prestando junto ao Conselho Tutelar da cidade. 

Outros nomes foram mencionados e estão em busca de apoio junto à população. Entre eles estão o de uma empresária que acredita ter condições de ocupar o cargo, sob alegação de que apoiou politicamente a campanha do governador eleito, mas, apesar de já ter representado um segmento na cidade, não é unanimidade entre a categoria. 

Recentemente, três ex-candidatos ao cargo de deputado pela cidade também demonstraram interesse em dispor de seus nomes para concorrer ao pleito, entre eles encontra-se José Nogueira que declarou fazer uma “campanha” de independência e outro que afirma executar trabalhos sociais no Porto Rico e Vila dos Carroceiros, apesar de poucos conhecerem o seu trabalho. 

Outras lideranças também se despuseram em colocar seus nomes a disposição. Uma dessas lideranças, trata-se do Fonseca de Santa Maria, pioneiro e aposentado do GDF. Ele acredita que poderá administrar a cidade, uma vez que conhece de perto os problemas e constantemente usa as redes sociais para reivindicar soluções. 

O nome do atual administrador Hugo Gutemberg também foi mencionado e apesar de não “aceitar”, possui bastante simpatia por uma parte da população, comerciantes e lideranças, bem como, base política junto a um parlamentar. 

De acordo com o governador eleito Ibaneis Rocha, inicialmente serão nomeados administradores interinos pelo prazo de 90 dias e em seguida serão escolhidos os novos administradores com a participação popular. Todavia, a Câmara Legislativa terá participação importante nesse processo, tendo em vista, o executivo precisar da aprovação de projetos importantes pelos deputados. Assim, os deputados ganham força na hora de indicar seus apadrinhados para ocuparem tais cargo. 

Enquanto o processo não acontece, a batalha campal se instala em Santa Maria e demais cidades do Distrito Federal, aonde em algumas delas, a comunidade se antecipou e já enviou a tal lista tríplice para o aval do futuro chefe do executivo. Enquanto em Santa Maria, há aqueles que estão fazendo trabalho sério, possuem condições técnicas para ocupar o cargo, além da simpatia por parte da população e aqueles que não possuem quaisquer condições, mas, impõem, “no peito e na marra” que sejam lembrados sob pena de “bagunçarem” o processo e tentar impedir que os futuros nomeados tomem posse dos cargos. 

De olho no caminhar da carruagem, a equipe de transição está de olho acompanhando de perto o desenrolar do processo para enfim anunciar os nomes dos comandantes das 31 cidades satélites do Distrito Federal.


Fonte - Agência Satélite

Postar um comentário

0 Comentários