Tabanez deixa a PCDF após 30 anos


Depois de 30 anos de serviços prestados sociedade de Brasília, nos quadros da Polícia Civil do Distrito Federal, o policial Carlos Alberto Tabanez, deixou a instituição na última terça-feira (27). Por sua vontade, já que goza de muita saúde e disposição, Tabanez, como é popularmente conhecido, acredita-se, que não se aposentaria. Mas, a necessidade de estar mais próximo da família, além de querer se dedicar ainda mais aos demais compromissos, o fizeram deixar a instituição. 

Muito querido e admirado dentro da Polícia Civil, a sua aposentadoria foi publicada no Diário Oficial dessa terça-feira (27/11). Na saída ele recebeu, através das redes sociais, telefonemas e ainda vários encontros, o carinho de todos os colegas que trabalharam com ele durante o período que esteve servindo a sociedade. 

Tabanez justificou a aposentadoria aos vários compromissos assumidos, entre os quais a maior dedicação que terá com a família, “algo que há muito tempo não fazia”. “Considero que o trabalho policial é muito gratificante, mas temos muitas outras cobranças, sem horas de folga e principalmente o convívio da minha família”, declarou. 

O trabalho, segundo Tabanez, se intensificou em 1995, quando ingressou na Academia de Polícia e começou a atuar no combate direto ao crime, como agente de polícia. Sua experiência na instituição incluiu ações contra roubos e furtos e sequestros. Atuou ainda na divisão de Operações especiais (DOE) por mais de 15 anos. 

O agora policial aposentado, treinou e preparou mais de 5 mil operadores da segurança, no DF e em outros Estados. Ministrou diversos treinamentos para vários órgãos dos governos federal, poder judiciário e legislativo, tanto para as Forças Armadas, quanto para as polícias de outros estados e guardas municipais. Atualmente, estava lotado no Departamento de Atividades Especiais da PCDF. 

O seu trabalho de Instrutor da Academia de Polícia Civil do DF, bem como suas atuações nos mais diversos setores da instituição tomaram dimensões nacionais e internacionais, que lhe renderam mais de 10 condecorações e aproximadamente 50 elogios. 

Além disso, tinha uma agenda quase que integralmente dedicada à segurança pública. Dentre outras atividades prestadas na área, ainda presta serviços à sociedade mais necessitada, atuando há mais de 25 anos como voluntário na Vara da Infância e Juventude do TJDF, onde afirma que continuará atuando. 

Ele possui pós-graduação pela UnB em política estratégia e recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Gordon University, da Flórida, nos Estados Unidos em 2008. 

Em todos esses anos voltados ao ensino, jamais se separou das salas de aula aonde atua há mais de 10 anos no magistério. 

Em 2018, entrou para a política e tentou uma vaga na Câmara Legislativa e apesar de ser um novato no pleito, conquistou 8.078 votos, ficando na segunda suplência da coligação. “Foi uma experiência gratificante, aonde tive oportunidade de levar a minha mensagem aos quatro cantos do Distrito Federal e ouvir de perto as demandas da sociedade. Essa experiência foi uma das melhores que já vivi”, enfocou. 

Ao final da jornada de policial civil, espera encontrar mais tempo para cuidar da saúde, família e administrar o grupo GSI, empresa fundada por ele há mais de 12 anos, que presta relevantes serviços a sociedade na área de segurança privada. “Sei que vai ser difícil acostumar com a aposentadoria, mas, para compensar esse vazio, continuarei as minhas atividades com mais eficácia. Porém, acredito que ao deixar a Polícia civil, poderei administrar melhor o meu tempo entre a família e o trabalho”, finalizou.


Fonte - Agência Satélite


Postar um comentário

0 Comentários