Homem atira e mata namorada no DF: “Foi o diabo quem disparou”

Este é o 15º feminicídio registrado no Distrito Federal em 2019. Suspeito foi preso em flagrante nessa terça-feira (23/07/2019)

DIVULGAÇÃO/PCDF

Um homem foi preso nessa terça-feira (23/07/2019) acusado de assassinar a tiros a namorada na QSC 19, Chácara 28B, em Taguatinga. O feminicídio teria ocorrido no dia anterior, por volta das 23h.

À Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), Lucas Lisboa Dutra (foto em destaque), 23 anos, disse que manuseava sua arma, quando apontou para a vítima, Joyce Oliveira Azevedo, 21. Segundo ele, “o diabo quem disparou”. A prisão foi realizada por equipes da 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro).

De acordo com o delegado-chefe da unidade, Josué Ribeiro, agentes tomaram conhecimento do fato ainda na madrugada de terça (23/07/2019), após a mulher ter dado entrada no Hospital Regional de Taguatinga (HRT) em decorrência do ferimento provocado pelo disparo. “Nossa equipe de crimes violentos foi ao HRT, mas, quando chegamos, ela já estava morta. Não conseguimos saber a circunstância do crime”, explica o policial.

Apesar da dificuldade em obter informações, a PCDF prosseguiu com a apuração e chegou até Lucas. De acordo com os investigadores, a vítima é moradora do Recanto das Emas e namorava com o suspeito havia pouco tempo. “Ele pagava Uber para que ela viesse do Recanto até sua casa, onde mora de favor. Apuramos que era um relacionamento enrolado e estava piorando por causa de drogas.”

Durante as investigações, a polícia foi até a casa onde o homem mora, mas não o encontrou. Conforme a corporação, o proprietário da residência onde Lucas vive de favor o teria escondido no telhado do local. Mais tarde, quando os policiais voltaram, flagraram o suspeito na residência.

Ele foi detido em flagrante e encaminhado à 12ª DP, onde aguarda audiência de custódia. Por ter escondido Lucas, o proprietário do imóvel também acabou autuado, por favorecimento real (quando alguém colabora com um ato criminoso). Este é o 15º feminicídio registrado no Distrito Federal em 2019.

Neste 2019, o Metrópoles iniciou projeto editorial para dar visibilidade às tragédias provocadas pela violência de gênero. As histórias de todas as vítimas de feminicídio do Distrito Federal serão contadas em perfis escritos por profissionais do sexo feminino (jornalistas, fotógrafas, artistas gráficas e cinegrafistas), com o propósito de aproximar as pessoas da trajetória de vida dessas mulheres.

O Elas por Elas propõe manter em pauta, durante todo o ano, o tema da violência contra a mulher para alertar a população e as autoridades sobre as graves consequências da cultura do machismo que persiste no país.

Desde 1° de janeiro, um contador está em destaque na capa do portal para monitorar e ressaltar os casos de Maria da Penha registrados no DF. Mas nossa maior energia será despendida para humanizar as estatísticas frias, que dão uma dimensão da gravidade do problema, porém não alcançam o poder da empatia, o único capaz de interromper a indiferença diante dos pedidos de socorro de tantas brasileiras.


Fonte -Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários