Justiça condena homem que matou bebê de um ano, por ciúme

O homem teria espancado a criança e deixado o corpo enrolado em um lençol


Tallys Henrique Piris de Miranda foi condenado a 20 anos de prisão por ter assassinado Hector Ulisses Batista Gomes, de apenas um ano e nove meses, filho de sua ex-companheira.

A sentença foi proferida nesta terça-feira (23) pela juíza Mônica Catarina Perri Siqueira, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá.

Segundo o processo, Hector era filho de Danyela com outro homem e era motivo de ciúmes por parte de Tallys. O casal chegou a morar junto, mas se separou após um caso de agressão. Contudo, continuaram namorando e chegaram a ter um bebê, que nasceu prematuro e ficou internado em um hospital de Cuiabá.

No dia do crime, o casal deixou Hector com os tios da mulher e foi ao hospital, onde receberam a notícia de que o recém-nascido estava em estado grave e que provavelmente faleceria.

À noite, o acusado buscou Hector, que estava com os tios da namorada em uma barraca de lanches no bairro Dom Aquino, e perguntou onde estava Danyela. Ele voltou ao local quase uma hora e meia depois, e pediu que ela fosse encontrá-lo na casa de sua mãe.

Quando a mulher chegou, eles teriam brigado, em razão da demora da mulher. Naquela noite, horas depois, ele aproveitou quando ela foi ajudar os tios a recolher a barraca de lanches e matou a criança, por puro ciúme.

Conforme o processo, ele teria espancado o bebê e, depois, deixado seu corpo enrolado em uma coberta, deitado no colchão na sala da casa. Em seguida, sentou-se no sofá e assistiu televisão. Quando Danyela chegou e percebeu a gravidade da situação, levou Hector ao hospital, mas o bebê não resistiu e morreu.


Fonte - OLivre

Postar um comentário

0 Comentários