Jovem agredido ao sair de balada foi vítima de homofobia no ABC, dizem amigos e familiares

Roger Passebom Junior apanhou após discutir com rapazes que o provocaram quando ele dançava no domingo (22) em São Bernardo do Campo. Ele está internado em estado grave e agressores fugiram.

Jovem agredido na saída de boate em São Bernardo está 
em coma há três dias

Amigos e parentes de Roger Passebom Júnior, agredido por seis jovens ao sair de uma balada em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, afirmaram que ele foi vítima de homofobia. O caso ocorreu na manhã do último domingo (22).

Desde então, Júnior está em coma na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal de Clínicas com traumatismo craniano.

A Polícia Civil busca imagens de câmeras de segurança para tentar identificar e prender os agressores, que fugiram. A ocorrência foi registrada inicialmente como lesão corporal no 1º Distrito Policial (DP) da cidade. Se durante as investigações ficar comprovado que Roger apanhou pelo fato de ser homossexual, a tipificação criminal deve ser modificada. As testemunhas do crime estão sendo ouvidas.

“Implicaram com o jeito de ele dançar, por ser homossexual”, disse Jennifer Ferreira, prima de Júnior, sobre o grupo que o agrediu do lado de fora da casa noturna em São Bernardo.

Silvio Brio, tio de Júnior, falou que os agressores gritavam ofensas homofóbicas enquanto batiam no sobrinho. “É isso que eles falavam: ‘homossexual tem que morrer’”, contou Brito.

Júnior e amigos tinham ido à balada para comemorar o aniversário de 22 anos dele. Segundo as testemunhas, eles foram provocados por outros rapazes e começaram a discutir.

O segurança da casa, ainda de acordo com os depoimentos, retirou da balada os jovens que implicavam com Júnior e seus amigos. O grupo expulso, no entanto, os esperou por mais de uma hora do lado de fora. Quando eles saíram, começou uma nova confusão.

Jovem é agredido após sair de casa noturna em 
São Bernardo do Campo

“Meu sobrinho saiu do banco de trás e desceu para ajudar o amigo que estava sendo espancado”, disse Silvio Brito, tio de Júnior. “Ele caiu no chão e começaram a chutá-lo. Principalmente na cabeça”.

Júnior desmaiou e foi socorrido por uma viatura da polícia que passou pelo local e o levou ao hospital.

Os agressores fugiram e são procurados. Quem tiver informações sobre eles pode telefonar para o número 181 do Disque-Denúncia e não é preciso se identificar.

“A gente só quer Justiça”, disse Roger Passebom, pai de Júnior. “Esses marginais não podem ficar impunes”.

“É impossível aceitar isso nesse momento, no século que a gente vive”, disse Jennifer sobre as agressões que seu primo sofreu, segundo ela, por ser gay.

A casa noturna onde o Júnior comemorou o aniversário disse que está à disposição da polícia para ajudar nas investigações. E que não pactua com nenhum tipo de agressão nem com atitudes homofóbicas.

Fonte - SP1 - São Paulo

Postar um comentário

0 Comentários