Marileide Romão de volta a Administração Regional

Após vinte dias de negociação, analises, arrependimento e reconciliação, Ibaneis Rocha devolve o comando administrativo de Santa Maria para o “clã rosa”. 


Em menos de dois anos, cinco administradores passaram pela administração de Santa Maria, sendo quatro desses, indicados pela deputada Jaqueline Silva (PTB) que nessa última, entende-se, após profunda reflexão dos atos na Câmara Legislativa, recebeu o perdão de Ibaneis Rocha (MDB) e voltou a apadrinhar Santa Maria. 

Jaqueline que ora perdera o comando administrativo da cidade após sucessivas votações contrarias a projetos do Executivo na CLDF, o que acarretou em um puxão de orelhas que deixou cicatrizes severas, parece que entendeu o recado e aprendeu mais uma lição de que o simples fato de ser um parlamentar não dá autoridade de fazer o que vem à mente. Existem acordos políticos que devem ser cumpridos à risca, ainda mais quando se tem uma legião de “afilhados políticos” que necessitam de assistência. 

Com isso, o governador Ibaneis Rocha que está dando aula de como fazer política, devolveu, pelo menos por enquanto, o título de “madrinha” de Santa Maria para a parlamentar que de imediato indicou ao cargo a ex e agora novamente administradora, Marileide Romão, e que durante sua primeira passagem, relâmpago, obteve aprovação de maioria das lideranças comunitárias e da comunidade. 

Marileide é moradora de Santa Maria há mais de 25 anos. Considerada pioneira, é reconhecida por ser uma das mais importantes lideranças comunitárias da cidade, com trabalhos sociais desenvolvidos, principalmente, junto aos moradores da QR 100. 

Na política, ganhou destaque junto ao clã Roriz, aonde atuou como assessora da deputada Liliane Roriz durante sua vida política. No último processo eleitoral, decidiu por apoiar Jaqueline Silva, após a confirmação de que Liliane deixaria a política e não concorreria a reeleição, deixando seus assessores livres para trilharem novos horizontes. 

Assim, Marileide desembarcou no “ninho rosa” e após algum tempo ganhou de presente por sua fidelidade a administração da cidade. É certo que sua autoridade no órgão nunca foi 100%, tendo em vista as várias investidas do “clã rosa”, comprovadas através de áudios e vídeos que circularam pelas redes sociais, bem como relatos de pessoas próximas que de certa forma foram depreciadas por componentes desse. Eles afirmam que pessoa ligada diretamente a deputada (que não é segredo para ninguém) ou até mesmo essa, intervinham nas ações do órgão, atuando como gestores. Todavia, o fato de Marileide está “a frente” e principalmente dialogando com as lideranças, algo inédito na cidade, fez com que ganhasse o respeito da maioria dos líderes comunitários locais. 

De acordo com informações, até as 15h, Marileide a exemplo da sua exoneração, não sabia da sua recondução ao cargo, sendo surpreendida de todas as decisões tomadas em seu nome. 

Ela retorna ao cargo no lugar do agora ex-administrador Renato Couto, que ocupou a cadeira por apenas 20 dias, quebrando um ciclo conquistado após muita luta das lideranças e que tornou exemplo em todas as cidades satélites a partir de Santa Maria, que é a “autonomia administrativa”, ou seja, ter um administrador morador da cidade. Apesar de não ser morador, Couto deixou um legado, nos poucos dias de administrador, também conquistou a maioria das lideranças com ações simples, ouvir, ouvir e ouvir para depois decidir em grupo. 

Algumas lideranças e moradores lamentaram a saída de Renato Couto, que em pouco tempo ganhou o carisma e respeito dos moradores da região. De acordo com uma liderança política local, “Renato por ser indicado direto do governador Ibaneis Rocha, por um instante resgatou o sentimento de esperança de uma gestão pública séria, sem cabresto político, voltada único e exclusivamente para o interesse público”. 

Essa mesma liderança completou seu relato dizendo que “Couto ainda demonstrou altivez, espírito público e democrático e principalmente respeito à Administração Regional. Sinalizou ainda respeito a população de Santa Maria, as Organizações da Sociedade Civil e aos veículos de comunicação da cidade”. 

Na atual gestão, após vários administradores que ocuparam o cargo, infelizmente a maioria dos moradores não sabe quem administra Santa Maria. “Se fizermos uma pesquisa, tranquilamente mais de 90% da população não sabe quem é o administrador. Isso por causa do viés político-partidário que toma conta da cidade, aonde o grupo que aí está entende que ele é quem manda e quem não se encaixar está na rua”, afirmou uma importante liderança local. 

O que se espera da nova gestão 

Marileide retorna ao cargo com o compromisso de resgatar a credibilidade das lideranças sem ostentar o viés político-partidário, o que parece ser uma missão quase impossível para os dois lados, tendo em vista o compromisso de Marileide com o “clã rosa” e por outro lado, parte das lideranças que comemorava o fim de uma “ditadura” na Administração Regional, aonde muitas deixaram de serem ouvidas, e ainda foram alvos de constantes perseguições por parte do grupo que se auto intitulavam “mandatários da cidade”, ou seja, essas lideranças deixaram de acreditar em Jaqueline Silva e não aceitam sua intervenção na gestão local. 

Com o carisma que ostenta entre parte das lideranças e da comunidade, se atuar da forma que fez na sua primeira passagem pelo órgão, dando voz e vez, principalmente, para as lideranças comunitárias, Marileide será recompensada pelo trabalho e não precisará da sombra do “clã rosa” para se manter no cargo, pois a própria comunidade santamariense, a exemplo que que já fez na gestão Hugo Gutemberg, a abraçará ao ponto de convencer Ibaneis de que essa deverá permanecer no cargo sem a intervenção de qualquer deputado, sendo de sua inteira confiança e indicação até o fim do governo. 

O Satélite Notícias deseja boa sorte na nova empreitada assumida por Marileide Romão e continua com o propósito de defender os interesses da cidade e não de políticos de mandato. Acertaram Jaqueline em rever suas decisões em relação ao Executivo, e Ibaneis Rocha em colocar ordem na casa e mostrar de quem é a caneta. Com isso só quem ganhou foi a cidade e suas lideranças que ainda são órfãos de autonomia política, mas cheios de esperanças de uma cidade cada dia melhor.

Fonte - Satélite Notícias

Postar um comentário

0 Comentários