Ministério da Justiça prorroga atuação da Força Nacional na Penitenciária Federal de Brasília

Reforço na segurança fica estendido até 1º de junho de 2021; portaria foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (2). Tropas atuam no presídio desde fevereiro do ano passado.

Força Nacional faz escolta para chegada de presos na Penitenciária Federal de Brasília, em imagem de arquivo — Foto: TV Globo/ Reprodução

O Ministério da Justiça e Segurança Pública prorrogou por seis meses o uso da Força Nacional de Segurança Pública na área da Penitenciária Federal de Brasília. A portaria que regulamenta a medida foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (2) e começa a valer a partir de sexta (4).

Esta é a quinta vez que a presença das tropas na penitenciária é estendida. A última decisão foi divulgada em agosto, e o prazo vence no próximo dia 3 de dezembro. Agora, o reforço no patrulhamento segue até o dia 1º de junho de 2021.

As tropas atuam no presídio desde fevereiro do ano passado, quando quatro condenados de chefiar uma facção criminosa foram transferidos de São Paulo para o DF.

A portaria desta quarta-feira (2) é assinada pelo Ministro da Justiça, André Luiz de Almeida Mendonça. Segundo o documento, a quantidade de militares na operação segue um planejamento definido pelo próprio ministério.

Caso seja necessário, o prazo de apoio prestado pela Força Nacional poderá ser prorrogado novamente.

Grades de segurança em área externa da penitenciária federal de Brasília — 
Foto: Isaac Amorim/MJ

Penitenciária Federal

A Penitenciária Federal de Brasília foi inaugurada em 16 de outubro de 2018 e é a quinta unidade federal do país. Atualmente, o Sistema Penitenciário Federal é composto por unidades em:

Campo Grande (MS)
Catanduvas (PR)
Mossoró (RN)
Brasília (DF)
Porto Velho (RO)


Nossa equipe entrou na Penitenciária de Federal de Brasília

Considerada de segurança máxima, a penitenciária possui 208 celas em 12,3 mil m² de área construída. O espaço é monitorado 24 horas por agentes penitenciários e por um circuito de câmeras em tempo real.

Para acessar o presídio, é preciso passar por quatro níveis de revista, que incluem detector de metais, "raquete" para detecção de metais e um scanner de corpo inteiro que detecta objetos no corpo da pessoa, sem contato físico.

Fonte - G1/DF

Postar um comentário

0 Comentários