Page Nav

HIDE

Últimas notícias:

latest

CAMPANHA - COMBATE A DENGUE


FIM DO MISTÉRIO - Menina que sumiu após ir à padaria em Goiás é encontrada morta

Luana Marcelo, de 12 anos, estava desaparecida desde a manhã de domingo. Mãe tinha esperança de achá-la viva. Suspeito foi preso



A Polícia Civil de Goiás (PCGO) encontrou o corpo de Luana Marcelo (foto em destaque), de 12 anos, que estava desaparecida desde a manhã de domingo (27/11). No dia, ela saiu de casa para comprar pão, no setor Madre Germana II, em Goiânia (GO).

O corpo da menina foi localizado na manhã desta terça-feira (29/11). A polícia prendeu um homem temporariamente. Ele é suspeito de ter sequestrado e matado Luana. O rapaz confessou ter estrangulado a vítima.

Câmeras de segurança flagraram menina caminhando até a padaria:

Reidimar Silva Santos, 31 anos, indicou o local onde estava o corpo de Luana, no momento em que a Polícia Civil do estado foi até a residência para cumprir o mandado de prisão temporária dele. O cadáver da menina foi enterrado sob terra e entulho, no quintal da casa do suspeito.

O homem disse que ofereceu carona para a adolescente, sob a alegação de que devia dinheiro para os pais dela e que ia pagar a dívida. No entanto, ele levou a vítima para casa, onde a estrangulou usando as mãos, segundo versão dele para a polícia, gravada em vídeo.

Adolescente de 12 anos desapareceu quando saiu de casa para comprar pão
Reprodução

Luana Marcela Alves, de 12 anos, foi assassinada quando saiu de casa para padaria
Reprodução

Luana Marcela, de 12 anos, foi vista com vida pela última vez em imagens de câmeras de monitoramento - Reprodução

Reidimar Silva foi preso por matar a menina de 12 anos
Reprodução

Policiais escavam local em que corpo de adolescente foi encontrado
Reprodução

Na segunda, a polícia fez uma perícia no carro de Reidimar, que estava estacionado no local em que Luana foi vista pela última vez. O motorista também havia sido ouvido na delegacia.

Tentativa de estupro

A delegada Caroline Borges, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Goiânia (GO) disse que Reidimar relatou ter tentado estuprar a menina, antes de matá-la.

“Segundo ele, ele tentou abusar sexualmente dela, mas ela se debateu e, por fim, ele resolveu matá-la”, disse a investigadora. Exames periciais e diligências da investigação devem confirmar a versão do autor.

Caroline se emocionou ao falar sobre o caso com um repórter da TV Brasil Central. Ao ser questionada sobre a família da vítima, a delegada embargou a voz e ficou com os olhos lacrimejando.

“Conversamos hoje, eles (os pais da vítima) foram ouvidos formalmente aqui na delegacia na manhã de hoje. Eu garanti a eles que eu encontraria a filha deles e… Infelizmente, entregamos o corpo e a resposta foi essa”, afirmou a delegada, visivelmente emocionada.

Veja o vídeo do momento em que Reidimar confessa o crime:



Segundo a investigadora, o suspeito conhecia a família de Luana. Os pais de Luana eram proprietários de uma distribuidora de bebidas, que ele costumava frequentar.

Havia esperanças

Pouco antes de a polícia confirmar a morte da adolescente, o Metrópoles falou com a mãe dela, a diarista Jheiny Hellen, de 31 anos. Ela disse que tinha esperanças de a filha estar viva.

“Está todo mundo tentando procurar. Tenho esperança de ela estar viva”, afirmou a mãe pouco antes da confirmação da morte.

Imagens de câmeras de monitoramento mostraram a menina indo até o supermercado, onde tem uma padaria. A menina saiu com uma nota de R$ 10, por volta das 9h.

Jheiny relatou que a filha nunca ficou muito tempo fora de casa. Antes de sair, ela disse que ia comprar pão para a família. Moram três pessoas na casa: Luana, Jheiny e o esposo, Robson.

“Eu comecei a procurar ela às 10h, porque demorou. Quando ela fala que vai em um lugar, ela volta. Nunca aconteceu de demorar”, ressaltou a diarista.

Nenhum comentário




Latest Articles