Page Nav

HIDE


Últimas notícias:

latest

CAMPANHA - COMBATE A DENGUE


O "MANÉ" RESOLVEU JUSTIFICAR E SE VITIMIZAR - 'Eu humanamente perdi a paciência', diz Barroso sobre resposta a um manifestante nos EUA

O mesmo autor de "eleições não se vence, se toma", se justifica durante palestra na sede do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), em Salvador, nesta sexta-feira (25).

Ministro Luís Barroso "desmente" notícias ditas sobre ele durante palestra no TRE-BA

Durante palestra em Salvador nesta sexta-feira (25), o vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso, relembrou o episódio em que respondeu "Perdeu, mané, não amola" a um manifestante que o questionou sobre as urnas eletrônicas brasileiras.

"Eu humanamente perdi a paciência. Gostaria de dizer que só perdi a paciência depois de três dias, em que uma horda de selvagens andava atrás de mim, me xingando de todos os nomes que alguém possa imaginar", afirmou.

O comentário foi feito durante o "I Fórum de Cidadania Política – pensando o futuro da democracia no Brasil", que ocorreu na sede do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), na capital baiana.

"Mas eu, como todas as pessoas, tenho o maior respeito e consideração pelos 58 milhões de pessoas que votaram em um candidato. Porque, como eu disse antes, a democracia não é um modelo de 'alguns', é o governo de todos e, portanto, todos merecem respeito e consideração, mas os humanos têm o direito de perder a paciência em alguns momentos da vida", disse.

Ainda durante a palestra, Barroso destacou que na democracia sempre haverá oposição, no entanto, ela não pode ser na base do ódio e da agressão.

"As pessoas perderam o limite da civilidade movidas pelo ódio. É isso que precisamos desfazer no Brasil. [Temos] o direito de discordar, mas sem o ódio, sem a ofensa, sem a agressão", pontuou.

'O resultado deve ser respeitado'

Ainda na palestra em Salvador o ministro Luis Roberto Barroso disse que o "Supremo é o povo, e a sua vontade deve ser respeitada".

"O resultado deve ser respeitado. Não adianta apelar para os quartéis, apelar para extraterrestres", disse em relação aos atos antidemocráticos que ocorreram por todo o país após o fim das eleições, fazendo referência a um vídeo onde manifestantes usam sinais luminosos na cabeça.

O evento realizado na sede do TRE-BA, contou a apresentação de alunos do Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba) e com a participação do presidente do TRE-BA, o desembargador Roberto Maynard Frank.

"A democracia respira e se renova no momento em que chamamos ao debate e reflexão os jovens que, em breve, se tornarão os timoneiros do nosso país", disse o desembargador antes de anunciar a palestra do ministro do STF.

Em seguida, Roberto Maynard Frank entregou a medalha do mérito eleitoral da Bahia para Barroso.

O ministro destacou que na democracia sempre haverá oposição. No entanto, esta não pode ser feita na base do ódio e da agressão.

Ele também destacou a importância da internet para a democratização da informação e do conhecimento, mas também criticou quem usa esse meio para disseminar fake news.

"Mentir precisa voltar a ser errado de novo", enfatizou.

Outra questão citada pelo ministro foi a liberdade de expressão. Ele falou que esta não pode ser confundida como argumento para a disseminação do ódio.

"É preciso estabelecer, com clareza, que a liberdade de expressão não autoriza a violência, não autoriza a agressão. A mentira deliberada não pode ser uma forma legítima de argumentar".

Ministro Barroso participou de evento em Salvador — Foto: Natally Acioli/g1

'Não amola'

A situação citada por Barroso ocorreu em Nova York, nos Estados Unidos, onde participou do Lide Brazil Conference, evento organizado pelo Grupo de Líderes Empresariais. Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes também foram ao evento.

Em vídeo que circula nas redes sociais, Barroso é visto andando pelas ruas de Nova York acompanhado de Moraes, quando é questionado por um homem sobre as eleições.

"O senhor vai responder as Forças Armadas? O senhor vai deixar o código fonte ser exposto? Brasil precisa dessa resposta ministro, com todo respeito. Por favor, Barroso, responde para gente", disse o manifestante ao ministro. Ao que Barroso respondeu: "Perdeu, mané. Não amola".

Ao longo de todo o governo, o atual presidente Jair Bolsonaro (PL) fez críticas a ministros do Supremo, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Fonte - G1/Bahia

Nenhum comentário




Latest Articles