Page Nav

HIDE

Últimas notícias:

latest

CAMPANHA - COMBATE A DENGUE


RESPONSABILIDADE SOCIAL - Projeto amplia escola

Corpo docente da escola no canteiro de obras
Os alunos do Vale das Andorinhas no Novo Gama, município do entorno sul do DF, serão agraciadas nos próximos meses com a construção de mais salas de aula através de um dos programas sociais promovidos pela Corumbá Concessões S.A. (CCSA).  Os Programas estão sendo implantados nos municípios do entorno do reservatório da UHE Corumbá IV.
 Por meio de seu Diretor Presidente Dr. Marconi Melquiades de Araújo, os projetos assistenciais estão levando dignidades às comunidades do entono, na sua maioria, carentes, que há muito tempo clamavam por melhorias na qualidade de vida.
 
Após a análise minuciosa de vários projetos apresentados por várias escolas, bem como das necessidades de cada uma, a Escola Municipal Carla Moana Dias Simões, foi a escolhida, por apresentar maior carência de melhorias estruturais, bem como por estar localizada em uma área rural de difícil acesso.
De acordo com a diretora da instituição, professora Teresa Dávila Saraiva Meneses Landim, o projeto executado pela empresa na escola atenderá as necessidades da comunidade escolar da região. “Há cerca de um ano recebemos a notícia em uma reunião com o Secretário de Educação aqui do município, que a empresa iria fazer a reforma da nossa escola e ficamos muito felizes, pois necessitávamos muito dessa reforma, porém, alguns meses depois, recebemos a notícias de que não seria feita apenas a reforma e sim a construção de um novo prédio. Aí você imagina a nossa alegria(...)”, disse.
Ainda de acordo com a diretora, para a execução do projeto na escola, os responsáveis pela empresa, em visita, exigiram um relatório que demonstrasse as reais condições da edificação e das dificuldades que a unidade de ensino enfrentava devido os problemas. “Assim, encaminhamos o relatório e em pouco tempo recebemos a visita de técnicos que vieram avaliar se o nosso relatório estava condizente com a realidade encontrada e após a análise, veio a grande notícia de que a empresa iria executar as obras na nossa escola”, enfatizou.
Para a execução do projeto, houve a necessidade de contrapartida da Prefeitura do Novo Gama em questão da doação do terreno, bem como de todo o mobiliário para a escola, pois somente assim poderiam assinar o contrato.
Para dar uma ideia da situação do atual prédio, a reportagem constatou que as portas e janelas necessitando de reformas urgentes, havia apenas quatro salas de aula para acomodar 240 alunos e dois banheiros que servem também à comunidade, além de falta de segurança. O prédio está deteriorado na estrutura geral e a sua reforma teria um alto custo para o município. O fator, porém a ser elogiado, está na limpeza, que durante a visita da equipe de reportagem, apesar das obras ao lado da edificação, estavam impecáveis.
Em contato com a empresa Corumbá Concessões S.A. a equipe de reportagem do JSN foi informada pela assessoria de comunicação de que o projeto para a reforma e construção da escola Carla Moana Dias Simões teve início há aproximadamente um ano, bem como, não houve interferência de nenhum segmento político, sejam eles municipais, estaduais ou demais. “O que houve foi apenas uma parceria, onde a empresa desenvolve a parte estrutural e a Prefeitura por meio da Secretaria de Educação faz a doação do terreno e de todo o mobiliário”, informou a empresa. A assessoria informou que programas semelhantes estão sendo desenvolvidos em comunidades carentes do entorno do reservatório da UHE Corumbá IV. Ainda de acordo com a empresa, serão construídas seis salas de aula, um refeitório, uma biblioteca, quadra poliesportiva e dependências de secretaria e coordenação, bem como será desenvolvido um projeto de horta comunitária nas dependências da nova edificação. Além de todas essas benfeitorias, a empresa inda irá reformar todo o prédio onde atualmente funciona a escola e data para a entrega das obras é 31/07.
A diretora da escola disse a reportagem do JSN que a unidade de ensino está funcionando no seu limite máximo, porém acredita que todas as crianças da região estão matriculadas, porém a necessidade maior está na educação infantil. “Estamos com 240 alunos matriculados, frequentes e temos uma demanda enorme, principalmente na educação infantil. Assim, há a necessidade imediata de ampliação das instalações”, comentou.
Atualmente a escola desenvolve oficinas pedagógicas para os alunos, que funcionam em horário contrário das aulas. Uma das oficinas, intitulada “Mais Educação”, atende 120 crianças, onde os alunos recebem alimentação e desenvolvem atividades no período integral. Teresa explica que a procura por vagas é diária e a demanda é muito grande.
Outro ponto levantado pela diretora é a procura incessante por vagas do 5º ao 9º ano, bem como para a EJA – Educação de Jovens e adultos, onde para essa modalidade, a procura é feita pelos pais que, muitas vezes, são analfabetos e desejam ser alfabetizados. De acordo com ela, os alunos são encaminhados para outras escolas distantes da região e isso acaba por dificultar a aprendizagem, pois o aluno, muitas vezes chega à escola cansado, apesar de haver transporte para a sua locomoção.
Para a secretária escolar Leila Dias de Alcântara, a comunidade ficou receosa quanto ao início das obras por não acreditar que seria verdade. “Eles vinham e nos perguntavam se realmente seria construída uma nova escola na nossa região e sempre dissemos para que a comunidade tivesse fé, pois dessa vez as coisas iriam mudar, daí quando eles viram as máquinas chegando, começaram a acreditar que algo de bom estava por acontecer aqui na região. A felicidade deles é imensa, principalmente em saber que terão quadra de esportes, que é o principal, pois o espaço atual não oferece condições para a prática esportiva, bem como é uma novidade. As crianças estão ansiosas em poder estrear a escola nova. Nisso, agente fica até emocionada em poder participar desse momento único na história de vida dessa gente”, disse a empolgada secretária.
Leila completa dizendo que a comunidade do Vale das Andorinhas está passando por momento impar em questão de benfeitorias. “Recentemente conseguimos para a região um telefone público que foi doado por uma empresa de telefonia. Imagina uma região que não tinha como se comunicar a não ser via celular. Hoje aqui no ‘orelhão’ forma fila. O mais gostoso de tudo isso é que a comunidade está conseguindo tais benefícios sem intervenção política. Isso é muito gratificante, pois o poder público pode se preocupar com outras áreas mais importantes e necessárias para a comunidade”, finalizou.
Já o vigilante Dezílio Francisco de Souza (57), os benefícios são de extrema importância para a comunidade. “Nós só não estamos sozinhos porque existe Deus para nos proteger e Ele está nos dando a cada dia melhorias para que possamos viver com dignidade. Primeiro a (...) nos deu o orelhão e agora a Corumbá IV nos doou a escola. E assim vamos agradecendo cada dia pelas graças que Deus tem feito pra nós, porque esperar pelos homens está difícil”. Disse.
Fato intrigante levantado pela equipe do JSN aconteceu na última segunda-feira (19) quando foi informada de um projeto apresentado por um vereador da região que solicitava a construção da mesma escola que já estava com as obras em andamento. Tentando entender a situação, a equipe teve acesso ao tal documento e constatou que se tratava de um no mínimo sem justificativa plausível, pois a obra que estava sendo solicitada no tal projeto já está em andamento há aproximadamente um ano, entre projeto e execução, de acordo com a empresa que fez a doação e está executando as obras, bem como de acordo com a assessoria desta, não há qualquer intervenção política para a execução da obra. De acordo com um assessor da Câmara de Vereadores do município, o parlamentar por ser da região onde está sendo construída a escola, se aproveitou da situação e tentará confundir a comunidade no período eleitoral, sob a alegação de que as obras benéficas são de sua autoria, porém de acordo com levantamento da reportagem do JSN, alguns vereadores entendendo do objetivo (nada coerente) sinalizarão para que o projeto apresentado não entre sequer em discussão. “Infelizmente ainda existe pessoas desta natureza que se aproveitam da ingenuidade alheia com a finalidade de levar vantagens pessoais, porém acredito que o povo não é tão ingênuo assim ao ponto de acreditar em tais pessoas”, disse um vereador em tom de revolta.

Nenhum comentário




Latest Articles