Cena de peça em que mulher agride homem viraliza como se fosse real

Vídeo foi feito no calçadão de Ribeirão Preto (SP), no fim de semana. Cena faz parte de intervenção teatral que retrata assédio sofrido por mulheres.


Uma cena protagonizada por uma suposta vítima de assédio no calçadão, no Centro de Ribeirão Preto (SP), causa polêmica nas redes sociais desde o fim de semana passado. O vídeo, que foi visto em uma rede social por mais de 1 milhão de pessoas, mostra a jovem estapeando e pisando um homem. Ela tira a blusa e esfrega os seios no rosto do rapaz enquanto protesta por causa de uma cantada.
A gente quis só expor algo [o assédio] que acontece todos os dias aqui no Centro, com as nossas amigas, com as nossas irmãs"
Fausto Ribeiro, diretor da peça

A atitude da mulher impressiona, mas a cena compartilhada na internet e criticada, até mesmo zombada, por parte de milhares de usuários faz parte, na verdade, de uma intervenção cultural.

“É uma cena muito isolada de um todo que tem 40 minutos, e a gente quis só expor algo [o assédio] que acontece todos os dias aqui no Centro, com as nossas amigas, com as nossas irmãs, que vão tomar um café, e é batido esse tema. É um tema que já foi muito criticado”, disse o diretor da peça “Feliz Ano Novo”, Fausto Ribeiro.

No vídeo acima é possível ver o trecho divulgado na internet e a continuação da cena, registrada pela reportagem do G1 durante reapresentação da peça, na terça-feira (26). A nova encenação atraiu novamente os olhares de quem passava pelo calçadão de Ribeirão, mas, desta vez, causou menos impacto.

O vídeo foi compartilhado também por quem, sem saber da peça, concordou com a reação da mulher ao bater no homem que a assediou na rua. “Deveria ter ficado quieto”, escreveu um internauta desavisado na descrição do vídeo publicado no YouTube e que reproduz a cena com o título “Barraco no calçadão de Ribeirão Preto”.

Para a professora Débora Melo, que acompanhou a encenação na terça-feira, a polêmica do vídeo é provocada pela nudez da personagem. “É porque tem nudez, o que é bobo, porque é só um peito. Homens saem por aí sem camisa e não causam tanta polêmica”, avalia.

Outro internauta condenou a atitude da mulher. “Ridículo essa mulher achar que vai mudar algo assim”, publicou.

Peça que gerou vídeo polêmico foi encenada novamente na terça-feira (26), em Ribeirão Preto, SP (Foto: Amanda Pioli/G1)

'Grande tribunal'
Os idealizadores da peça, membros do grupo Confluências, se disseram assustados com a repercussão do vídeo com a cena teatral. “Espanto é a palavra, mas ao mesmo tempo eu acho bom se discutir e isso ter vindo à tona”, afirmou o diretor.

Segundo Ribeiro, embora a discussão sobre o assédio nas ruas seja válida, o papel da atriz foi duramente criticado. “Virou um grande tribunal, exposição de julgamentos, sem conhecer um trabalho profundo, aquilo é uma edição de um trecho muito maior”, disse Fausto Ribeiro.

De acordo com os criadores, o tema central da peça “Feliz Ano Novo” é uma crítica ao consumismo. “É uma ironia a quem só vem aos centros urbanos para comprar, consumir, gastar, comer e beber. Tem todos esses pretextos, e é performático ao modificar o fluxo do calçadão, trabalhando com essas imagens dentro de um jogo com a cidade”, explicou Ribeiro.

A cena em que a personagem interpreta a promotora de vendas entregando panfletos e é assediada por dois homens continua de forma “absurda”, segundo o diretor.

“A sequência da cena é tão absurda, que ela tira da pochete um revólver de plástico. É que a edição desse vídeo só mostra um pedaço da briga, mas tem um outro lado que é muito engraçado. A gente passa pela crítica e leva para o público achar que tudo não é real, o público vê que isso é teatro, e de repente começa quase que uma grande dança, um flash mob”, comentou.

Personagem de peça em Ribeirão Preto, SP, agrediu homem apó ser assediada na rua (Foto: Amanda Pioli/G1)


Fonte - G1/SP

Postar um comentário

0 Comentários