Ex-governador Arruda vira professor de engenharia em faculdade do DF

Político passou a integrar equipe no início do mês, segundo instituição. Engenheiro elétrico formado em MG, ele dá aulas duas vezes por semana.

José Roberto Arruda (PR) durante campanha ao governo do DF, em 2014 (Foto: Cristiano Costa/Fecomércio-DF/Divulgação)

O ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda foi contratado como professor de engenharia civil em uma faculdade particular de Águas Claras. As aulas da disciplina "sistemas elétricos" começaram no início deste mês. Segundo a assessoria da Unieuro, o político assumiu o cargo "por meio de processo seletivo, como os demais professores da instituição". A remuneração de Arruda não foi divulgada.

Arruda foi eleito em primeiro turno para o Buriti, em 2006, mas teve o mandato cassado em março de 2010 pelo Tribunal Regional Eleitoral do DF por desfiliação partidária. O político deixou o DEM no fim de 2009, em meio a denúncias de envolvimento no esquema de corrupção conhecido como "mensalão do DEM".

As aulas do ex-governador são às segundas e quintas-feiras, no período da noite. Arruda é formado em engenharia elétrica pelo Instituto Federal de Engenharia de Itajubá (MG), cidade natal do político. Nos anos 1980, ele foi diretor da Companhia Energética de Brasília (CEB).

Em 2014, o ex-governador filiado ao PR anunciou nova candidatura ao GDF, mas teve a chapa impugnada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O registro foi barrado porque Arruda tem condenação em segunda instância na Justiça do DF, pelo mesmo esquema de corrupção. O candidato entrou com recursos na Justiça, mas não obteve decisão favorável.

No discurso em que renunciou à disputa eleitoral de 2014, Arruda disse que aquele seria "provavelmente" o último momento de sua vida pública. Ao terminar o anúncio, ele afirmou que estava "passando o bastão" para o médico Jofran Frejat. "Eu me retiro da vida pública. Eu vou agora cuidar das crianças", declarou.

Agnelo Queiroz
Agnelo Queiroz vistoria obras da construção do
Estádio Nacional Mané Garrincha, em 2012
(Foto: Valter Campanato/ABr)
Na quarta (13), o ex-governador Agnelo Queiroz adiou, pela segunda vez, o retorno ao trabalho como médico cirurgião na rede pública do DF. O atestado por dores nas costas tem validade por 20 dias.

Agnelo cumpriu licença-prêmio entre o fim do mandato e 31 de julho e deveria retomar as atividades como médico no dia 3 de agosto, quando entrou com o primeiro pedido.

Ex-assessor de Agnelo, André Duda disse que laudo médico comprova que o político tem hérnia de disco. "Ele sente muita dor na coluna. Só consegue ficar em pé e sentar", afirmou.

A Secretaria de Saúde não disse se ele continuará lotado no Hospital Regional do Gama, onde trabalhava. Com baixa popularidade, Agnelo não chegou nem ao segundo turno das eleições de 2014.


Fonte - G1/DF
Leia também em www.agenciasatelite.com

Postar um comentário

0 Comentários