DISTRITO FEDERAL - Faltam cestas básicas para assistência social no DF, aponta sindicato

Categoria marcou uma assembleia para esta quinta-feira (13/06/2019), com previsão de paralisação de 48 horas


Com assembleia e paralisação de 48 horas agendadas para a manhã desta quinta-feira (13/06/2019), o Sindicato dos Servidores da Assistência Social e Cultural do Distrito Federal (Sindsasc) denuncia a falta de condições de trabalho na capital da República. Segundo a entidade, o estoque de cestas básicas fornecidas a famílias em vulnerabilidade social está esgotado desde o fim de maio.

O presidente do Sindsasc, Clayton Avelar, afirma que o serviço de distribuição de cestas emergenciais a usuários cadastrados pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) está prejudicado. De acordo com o sindicato, além dos danos causados à população assistida, a falta dos alimentos prejudica a segurança de servidores da assistência social.

“Os casos são avaliados individualmente e, caso a pessoa seja contemplada com o benefício, ela recebe a cesta em até cinco dias. Como está em falta, quando a pessoa vai buscar e não recebe, ela acaba se irritando”, diz o presidente do Sindsasc.

Em outubro de 2018, um caso de violência foi registrado no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de Santa Maria. Na ocasião, um homem atirou um cano de madeira contra um segurança.
Emergência

Por meio de nota, a Sedes informou que o contrato emergencial para a aquisição de 8 mil cestas de alimentos não perecíveis será assinado nesta semana. A previsão é que os produtos comecem a ser entregues nesta sexta-feira (14/06/2019).

A última licitação do tipo ocorreu em fevereiro de 2018 e, por causa da falta de uma nova abertura de processo, o estoque da secretaria foi prejudicado. “Como os contratos têm impreterivelmente a vigência de um ano e não podem ser renovados, para prevenir qualquer tipo de falta, a Subsecretaria de Administração Geral da Sedes já prepara novo chamamento para ser apresentado na metade da vigência do atual, ou seja, por volta de 180 dias após a assinatura.”

Além das cestas de alimentos secos, a secretaria afirmou que vai comprar 6 mil “cestas verdes” de agricultores familiares, com legumes e verduras. Os produtos serão adquiridos sem necessidade de licitação, por meio do Programa de Aquisição da Produção da Agricultura (Papa).


Fonte - Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários