Ainda há muito a fazer pelo Conselho



Célia Alves compartilha experiência na defesa dos direitos da criança e do adolescente. “Você deve mostrar confiança para a sociedade, naquilo que você se propõe a fazer por ela”

A conselheira tutelar Célia Alves da Silva, sempre procurou compartilhar suas experiências no cumprimento do ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente durante seus quatro mandatos no cargo, pautando suas atuações, sempre como conciliadora, principalmente, nas causas mais emblemáticas que envolvem o tema em Santa Maria.

Moradora de da cidade desde 2003, Célia é casada, mãe de 6 filhos e avó de 11 netos. Graduada em Pedagogia, ela sempre atuou em causas que envolvem crianças e adolescente. “Minha prioridade sempre foi Ação Social e Educação, que são as áreas em que eu atuava antes de ser eleita conselheira e após, se tornou rotina no meu dia-a-dia”, disse.

A dedicação de Célia ao cargo é tamanha que afirma se desdobrar para conseguir conciliar as tarefas de casa com as do Conselho Tutelar. “É uma dedicação exclusiva e de muito compromisso, as vezes tenho que me virar em duas para conseguir administrar o papel de mãe e avó, com o de conselheira. Digo a todos que estou conselheira pelo período integral, pois entendo que as demandas não têm dia, nem hora para acontecer e o papel de dona de casa não pode ser deixado em segundo plano. É uma missão árdua, mas, gratificante”, afirma.

Um dos casos que mais chamou a atenção da conselheira aconteceu durante uma reiteração de posse, na área conhecida como “quilombolas”, quando da derrubada de alguns barracos, duas famílias com aproximadamente quinze crianças ficaram desabrigadas, sem terem para onde ir. Célia, sem saber o que fazer e para onde enviar aquelas famílias. A solução, segundo ela, foi apelar ao dono da área. “Sem ter alternativas resolvi apelar para o proprietário da área e ele muito generoso, ajudou aquelas famílias com pagamento de aluguel por dois meses, entre outros donativos”, falou.

Já instalada no novo endereço, Célia garantiu às famílias auxilio vulnerabilidade, cestas básicas, escolas, material escolar e como ela faz questão de afirmar, “dignidade”.

Célia Alves está concorrendo a reeleição ao cargo de Conselheiro Tutelar por Santa Maria, nas eleições do próximo dia 6 de outubro, com o número 23210, e pede o seu voto para continuar defendendo os direitos da Criança e do Adolescente.

Por - Celso Alonso / Agência Satélite

Postar um comentário

0 Comentários