Paraguaia declarada morta é salva após se mexer dentro de saco para cadáveres em funerária

Gladys (deitada) com o marido e a filha após 'ressuscitar' Foto: Reprodução

Com pressão alta, Gladys Rodríguez Duarte, que sofre de câncer no ovário, foi levada pelo marido a uma clínica na cidade de Coronel Oviedo (Paraguai) no último sábado (11/4).

O quadro se agravou e três horas depois Gladys, de 46 anos, foi declarada morta pelo médico, identificado como Heriberto Vera, que a atendeu. O marido, Maximino Duarte Ferreira, e a filha, Sandra Duarte, já começavam a preparar o enterro, contou reportagem do jornal "ABC Color".

Porém a história teve uma reviravolta impressionante: funcionários da funerária para onde o corpo foi levado encontraram Gladys se mexendo dentro do saco para cadáveres onde tinha sido posta. A descoberta foi feita pouco antes do início da aplicação de formol - usado para conservar o corpo.

Gladys foi levada às pressas a um hospital, onde se encontra em estado grave, mas estável.

"Ele (Heriberto Vera) achou que ela estivesse morta e me entregou o corpo nu dela para mim, como se fosse um animal, sem atestado de óbito", disse o marido a uma emissora local.

A família prestou queixa à polícia.


Fonte - Extra

Postar um comentário

0 Comentários