Saúde do DF terá selos para identificar quem tomou vacina contra a Covid-19. Veja modelos

Adesivos serão circulares e de cores diferentes. O objetivo é identificar no cartão o tipo da fórmula aplicada e aumentar controle local


A Secretaria de Saúde decidiu confeccionar 650 mil adesivos para identificar pacientes dos grupos prioritários que tiveram acesso às primeiras doses dos imunizantes contra a Covid-19 em três etapas do plano local. A medida integra o planejamento da pasta para a campanha de vacinação, que seguirá as definições do Ministério da Saúde.

Cada selo terá diâmetro de até 4 centímetros, em formato circular, e será dividido em duas partes, para que sejam coladas no cartão de vacinas do paciente. O modelo servirá para auxiliar a pasta no controle do recebimento da primeira e da segunda dose do imunizante aplicado. Atualmente, campanhas contra outras doenças seguem um formato parecido.

A ideia será diferenciar os adesivos por cores para cada tipo de imunizante, a depender do fabricante. De acordo com o modelo ao qual a coluna Janela Indiscreta, do Metrópoles, teve acesso, a princípio, pelo menos seis cores diferentes foram escolhidas: azul, roxo, vermelho, marrom, verde e rosa. Com isso, a pasta está preparada para receber até meia dúzia de vacinas.

A depender dos tipos recomendados pelo governo federal, os adesivos vão identificar a variação das fórmulas aplicadas, justamente para que um cidadão não receba, por exemplo, a primeira dose de uma fábrica e a segunda, de outra.

Por nota, a Secretaria de Saúde reforçou ter pedido para a Secretaria de Comunicação (Secom) “uma ampla campanha de vacinação contra a Covid-19, seguindo os mesmos procedimentos que adota para as demais campanhas de vacinação realizadas ao longo do ano”.

Mudança nos grupos prioritários

Na quarta-feira (13/1), a Secretaria de Saúde fez mudanças no Plano Estratégico e Operacional da Vacinação contra a Covid-19 no Distrito Federal, principalmente em relação aos grupos prioritários.

Professores e profissionais das forças de segurança e de salvamento, que estavam na quarta fase da população-alvo, não entrarão no cronograma inicial. No total, 78.275 trabalhadores das duas categorias ficarão de fora das primeiras imunizações.

A pasta informou que o plano foi finalizado e alinhado com o Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde. Dessa forma, a Secretaria de Saúde seguirá o mesmo calendário e plano de vacinação do governo federal.

Segundo a SES-DF, todos os demais grupos inseridos pelo Ministério da Saúde como prioritários serão adicionados nas primeiras fases, com datas ainda a serem divulgadas pelo governo federal.

“A vacinação ocorrerá, a princípio, em três fases, mas, segundo o Ministério da Saúde, os grupos previstos são preliminares, passíveis de alteração, a depender das indicações da vacina após aprovação da Anvisa, assim como as possíveis contraindicações. Destaca-se, ainda, que há outros grupos populacionais considerados prioritários, a serem incluídos entre as fases apresentadas, discutidos no âmbito da câmara técnica, para avaliação de qual fase esses grupos serão inseridos, de acordo com o cenário de disponibilidade de vacinas e estratégia de vacinação”, esclareceu.

Fonte - Correio de Santa Maria

Postar um comentário

0 Comentários