Vigilantes denunciam corpo de criança deixado por mais de 24h no Hmib

Segundo o Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal, o corpo seria de uma menina de 4 anos que morreu com suspeita de Covid-19

Reprodução

O Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal (Sindesv-DF) denuncia que o Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) deixou o corpo de uma menina de 4 anos na emergência da unidade por mais de 24h. A menina morreu com suspeita de Covid-19.

Gilmar Rodrigues, diretor de Comunicação do Sindesv-DF, esteve no Hmib por volta de 8h desta terça-feira (30/3). Segundo ele, vigilantes teriam reclamado da situação, mas foram repreendidos por um funcionário da direção da unidade de saúde da Asa Sul. “Foram reclamar, e ele falou que eles não tinham nada a ver e que, se não quisessem trabalhar, ele mandaria devolver todos de lá”, contou.

“Essa salinha fica na entrada da emergência pediátrica, onde ficam os vigilantes. Esse corpo estava lá há mais de 24h, numa sala que não tem refrigeração, nada. A informação que a direção do hospital passou para a segurança é de que todos os corpos de criança que morrerem agora de Covid vão ficar naquele local. É um absurdo. Todos os pacientes passam por ali”, reclamou Gilmar.

O Metrópoles tentou contato por telefone com a emergência pediátrica do Hmib, mas ninguém atendeu à ligação. Em nota, a Secretaria de Saúde respondeu em nome do hospital, informando que “a unidade ainda aguarda o resultado do teste RT-PCR para concluir se o referido paciente estava ou não com Covid”.

A SES-DF não informou o tempo em que o corpo da criança ficou no local.

Veja a nota completa:
A direção do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) esclarece que todas as crianças que estão sendo atendidas no pronto-socorro do hospital e apresentam sintomas respiratórios são tidas como suspeitas de Covid-19. A unidade ainda aguarda o resultado do teste RT-PCR para concluir se o referido paciente estava ou não com Covid.

O hospital informa ainda que o corpo permaneceu na sala de transição, seguindo todas as orientações e normas sanitárias, aguardando a conclusão dos trâmites entre a família e a funerária. Tudo foi feito seguindo os critérios estabelecidos. O corpo da criança já seguiu para a funerária.

Quanto à questão dos vigilantes terem sido repreendidos, realmente, isso aconteceu. Eles tiveram uma conduta totalmente inapropriada e irregular ao tirarem foto do corpo, sem autorização da família nem do hospital, desrespeitando o momento de luto e tristeza dos envolvidos.
Leitos pediátricos para Covid-19

Na manhã desta terça, até as 10h10, a taxa de ocupação de leitos de UTI pediátricos na rede pública do DF estava em 80%. Dos 10 leitos existentes no Hospital da Criança de Brasília (HCB), oito estão preenchidos. Na rede privada, até as 8h10, havia uma criança ocupando UTI para tratamento de Covid, no Hospital São Francisco.

Fonte - Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários