Page Nav

HIDE

Últimas notícias:

latest

Ads Place


Bolão de SC que levou Mega da Virada teve desistência e premiados com “corda no pescoço”

Organizador de bolão catarinense revela, em conversa com o NSC Total, bastidores da aposta vencedora da Mega da Virada

Paulo Batistella - paulo.batistella@nsc.com.br

Mega da Virada pagou R$ 117.778.204,25 para cada uma das cinco apostas ganhadoras 
(Foto: Tiago Ghizoni, Arquivo DC)

A bolada de R$ 117.778.204,25 paga pela Mega da Virada 2023 para uma aposta simples de Ipira, pequeno município no Meio-Oeste de Santa Catarina, teve o valor dividido entre 34 pessoas, uma vez que o jogo premiado se tratou de um bolão informal. Uma das participantes se juntou à aposta conjunta apenas dois dias antes do sorteio, após um outro integrante do grupo ter desistido de comprar uma cota.

Quem conta a história é o organizador do bolão, em conversa com o NSC Total. Morador da região, o líder do grupo trabalhava como segurança privado e organizava jogos da Quina e da Mega-Sena já há um ano e meio para fazer uma renda extra. O convite para participar de cada jogatina era espalhado entre amigos e conhecidos até de outros estados via conversas e grupos de WhatsApp.

Desistência e troca de apostador de última hora

No caso da Mega da Virada 2023, o grupo fez 1.400 jogos simples de seis números, ao custo de R$ 5 cada, e outros dez cartões com oito dezenas, com valor de R$ 140 cada. Toda a jogatina foi dividida entre 30 cotas (parte delas repartida por mais jogadores), pelo preço de R$ 450 cada uma.

Os integrantes poderiam sugerir números, mas a maior parte das apostas foi feita pelo modelo automático de preenchimento. Uma delas foi a vencedora da Mega da Virada, de seis números.

— Eu tinha aberto o bolão três meses atrás, porque minha ideia era cada um pagar R$ 150 por mês, para não ficar tão pesado no final. Mas, no começo, quando coloquei nos grupos, não chamou muita atenção, eu até me apavorei um pouco, porque ia dar um valor muito alto, de quase R$ 8 mil — diz o organizador.

O valor salgado para cada cota fez, inclusive, um apostador desistir de última hora da compra. Na sexta (29), ele comunicou ao organizador que poderia vender sua parte para outra pessoa. Por sorte, a pessoa que desistiu tinha um irmão que se manteve entre os integrantes do grupo vencedor.

— O irmão dele foi lá e dividiu depois o prêmio com ele — conta o organizador do bolão.

“Estamos ricos, estamos ricos!”

O líder do grupo relata ainda que, para evitar o trabalho de conferir por ele próprio um volume tão grande de apostas a cada jogatina, costumava dividir os talões com os outros participantes ou aguardar pelo detalhamento do rateio pela Caixa Econômica Federal, que divulga as cidades dos vencedores. Desta vez, no entanto, sequer houve tempo para que o nome de Ipira chegasse às redes sociais.

— Eu cheguei na mesa para jantar, aí arrumei o prato. Nesse meio tempo, os colegas estavam mandando mensagem, e eu nem estava olhando o celular. Aí um deles pegou e me ligou, desesperado: “Estamos ricos, estamos ricos”. Eu disse: “Para de brincar”. “É sério, é sério, olha no celular”. Bah, aí eu olhei ali, e já virou tudo: tipo assim, não jantei mais, perdi o sono, todo mundo ligando para mim, aquela choradeira, alegria, comemorando. Até agora eu não voltei ao 100% ainda — diz o organizador do bolão.

“Corda no pescoço”

Ele diz ainda que o prêmio da Mega da Virada, já especial por si só, chegou em momento oportuno aos integrantes do grupo, que, em sua maioria, estavam com contas atrasadas e orçamento apertado.

— A maioria estava ali, como diz o outro, com a corda no pescoço. Um estava perdendo a casa, o outro estava perdendo o carro, outro estava morando de aluguel, estava todo mundo, assim, endividado. Então chegou para todo mundo em boa hora, sabe? — afirma o organizador da jogatina.

Além da aposta de Ipira, cidade catarinense com 4.578 habitantes, outras quatro cotas no país levaram o prêmio principal da Mega da Virada 2023. Anteriormente, Santa Catarina já havia tido três jogos ganhadores do maior concurso das Loterias Caixa: em Brusque, no Vale do Itajaí, em 2017; em Blumenau, também no Médio-Vale, em sorteio de 2018; e em Criciúma, no Sul do Estado, em 2019.

Nenhum comentário




Latest Articles