Page Nav

HIDE

Últimas notícias:

latest

CAMPANHA - COMBATE A DENGUE


Menos de 48 h após crime, frentista que matou garoto no DF é solto

Liberdade provisória saiu na sexta; G1 não conseguiu contato com suspeito.

Amigos da vítima estão 'decepcionados' e farão manifestação contra soltura.



Menos de 48 horas após matar a tiros um adolescente de 15 anos em Planaltina, no Distrito Federal, durante um ato contra o aumento da gasolina (veja vídeo acima), o frentista Wemerson dos Santos Feitosa foi solto do Centro de Detenção Provisória por decisão da juíza substituta Junia de Souza Antunes, da 11ª Vara de Justiça do DF.


Ele foi preso em flagrante na noite do próprio crime. O garoto morreu no local, atingido por dois tiros – um deles disparado quando ele já estava caído no chão.O alvará de soltura foi emitido às 16h29 desta sexta-feira (13). O crime aconteceu às 19h59 de quarta (11). Na decisão publicada na página do TJ não há informação sobre o que motivou a juíza a conceder a liberdade provisória ao frentista. O G1 não conseguiu contato com o suspeito nem com a Defensoria Pública, que representou o frentista.

O frentista foi indiciado por homicídio qualificado (motivo fútil), com pena de 12 a 30 anos de prisão e porte ilegal de arma de fogo, cuja pena varia de três anos a seis anos. O revólver que foi apreendido tem a numeração raspada.

Protesto contra soltura
Familiares e amigos de Lucas Alves farão uma manifestação contra a soltura de Wemerson Feitosa neste domingo (15), às 14h, no centro de Planaltina.

Uma pessoa dessas não tem condições de estar livre na rua"
Gilberto da Silva, amigo da vítima

Segundo o amigo do garoto Gilberto da Silva, que estava do lado dele no momento do crime, todos estão "muito decepcionados" com o alvará de soltura concedido pela Justiça, principalmente os pais do garoto. Ele também disse que o frentista não tem estabilidade psicológica para estar livre.

"Estamos arrasados. Isso é muito decepcionante, mas nós não vamos deixar assim, não. Vamos protestar pelo Lucas e por justiça. Todo mundo viu o vídeo, todo mundo viu que foi ele. Uma pessoa dessas não tem condições de estar livre na rua."

Crime
O jovem integrava um grupo que, após mobilização pacífica em rede social, pedia a motoristas para abastecer R$ 0,50, pagar no cartão de crédito e pedir a nota fiscal. Em Brasília, o litro do combustível passou de R$ 3,19 para R$ 3,39 na maioria dos estabelecimentos na última semana.

Cerca de 50 pessoas haviam parado os carros no posto durante o ato. Segundo testemunhas, o frentista se irritou com o protesto e, no terceiro automóvel, em vez de R$ 0,50, colocou R$ 50 de gasolina. Além disso, o homem teria se negado a abastecer os outros carros.

O grupo começou então a juntar o dinheiro para pagar os R$ 50. A discussão continuou e o frentista sacou o revólver 38 que levava na mochila e disparando contra o garoto.

Enterro de Lucas Luz (Foto: Mateus Rodrigues/G1)

Policiais que passavam em patrulhamento ouviram os disparos e prenderam o homem em flagrante. Com 26 anos, ele não tinha passagem pela polícia e disse que andava com a arma por se sentir inseguro para trabalhar à noite.

À polícia, o frentista disse que se sentiu coagido pelos manifestantes e afirmou não se arrepender do crime, afirmou o delegado Julio Cesar de Oliveira. Diante de jornalistas, no entanto, o suspeito se manteve calado.

A direção do posto informou que não vai se pronunciar sobre o caso. Funcionários que não quiseram se identificar afirmaram ao G1 que o frentista ainda estava em período de experiência.

"A família está estraçalhada. O pai, a mãe, os três irmãos. Era um jovem alegre, muito ligado à família e cheio de sonhos", afirmou o tio-avô de Lucas, Cosmo Roberto, durante o enterro do jovem.

Fonte G1/DF

Nenhum comentário




Latest Articles