Maioria dos distritais aprova proibição do Uber

Deputados aprovaram um projeto que proíbe a utilização do aplicativo de celular cuja proposta é oferecer transporte mais barato e com qualidade elogiada pelos usuários

Daniel Cardozo
daniel.cardozo@jornaldebrasilia.com.br


A pressão dos taxistas contra o Uber deu resultados, pelo menos na Câmara Legislativa. Os deputados aprovaram um projeto que proíbe a utilização do aplicativo de celular cuja proposta é oferecer transporte mais barato e com qualidade elogiada pelos usuários.

Não é apenas no Brasil que os motoristas têm feito barulho contra a ferramenta. Manifestações parecidas já ocorreram em Londres, Índia e França. Em todas elas, o motivo é o mesmo: os taxistas se sentem prejudicados, já que o Uber ainda não tem regulamentação em nenhum dos países citados.

Os motoristas de táxi reclamaram com o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) na segunda- feira e ontem foi a vez de ir até a Câmara Legislativa. 

Com as tribunas cheias, os taxistas pediam aos parlamentares que o aplicativo fosse proibido. O projeto de lei que veta o Uber foi proposto pelo deputado Rodrigo Delmasso (PTN), sob a justificativa de atrapalhar os táxis e garantir a segurança dos passageiros. “Os motoristas estavam sendo achavados por esse serviço pirata”, criticou.

O resultado foi a aprovação da proposta por 17 dos 24 deputados. No entanto, a proibição do Uber espera ainda a sanção do governador, que não tem prazo para ocorrer.

A Secretaria de Mobilidade já se manifestou contra o aplicativo e falou até em aplicação de multa de até R$ 2 mil, caso um motorista fosse pego pela fiscalização.

Mobilização em São Paulo

A página do Uber no Facebook fez uma convocação para evitar que a Câmara Municipal de São Paulo fizesse o mesmo. Os usuários foram convocados a mandar e-mails a todos os vereadores pedindo a liberação. Mais de 200 mil mensagens foram enviadas em 24h.

Na capital paulista, o serviço chegou a sofrer interrupção em maio, por conta de uma decisão judicial que proibia a disponibilização do Uber nas lojas de aplicativos. A empresa conseguiu derrubar a ação e continua em atividade.

Saiba mais

Os taxistas falam em perdas de 40% dos clientes com a operação do Uber.

Em fevereiro, a categoria protestou contra o Táxi Conveniência, serviço oferecido no Aeroporto.

A concorrência em ambos é considerada desleal.



Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Postar um comentário

0 Comentários