Erivaldo Alves, atual presidente da FMF, abriu o verbo

IMG_6821-300x270
O atual presidente da Federação Brasiliense de Futebol, Erivaldo Alves (foto ao lado), participou da estreia do Programa Mais Esportes, ontem (1/9), na rádio Redentor – 1.110 AM. O mandatário foi sabatinado pelos membros da nova equipe esportiva: Walter Rodrigues, José Daniel, Fábio Vila Nova e o titular deste blog.

Erivaldo apresentou uma preocupante realidade pela qual atravessa a entidade. Ele começou fazendo um resumo sobre o processo de cassação do mandato do ex-presidente Jozafá Dantas, ocorrido no mês passado por decisão da maioria dos clubes filiados à FBF.

Questionado sobre a atual situação da federação, Erivaldo abriu o verbo. Disse que a saúde financeira da entidade está bastante prejudicada, consequência da má gestão que vinha sendo praticada. “O saldo atual da conta da Federação é de apenas R$ 12 mil. Somente a folha de pagamento que vence agora no próximo dia 05 passa dos R$ 100 mil, enquanto a nossa receita mensal prevista é de apenas R$ 61 mil. Eu não sei dizer para vocês qual era a mágica que a gestão anterior fazia para pagar uma folha maior que a receita”, disparou o presidente da FBF.

A CBF repassa mensalmente a quantia de R$ 50 mil à FBF. A entidade local ainda tem mais R$ 12 mil de receita que recebe de alugueis de salas no Plano Piloto.

Além de encontrar uma maneira para ajustar a disparidade que existe hoje entre gastos e receitas, a atual diretoria tem vários outras pendências para serem urgentemente resolvidas. Somente o débito com a arbitragem ultrapassa a casa dos R$ 60 mil. Caso o pagamento não seja feito nos próximos dias, o risco de os árbitros não atuarem na segunda divisão do Candangão, que está prevista para começar no próximo dia 26, é iminente.

O presidente da FBF também revelou que existe uma pendência da Federação com o Grupo OK, do ex-senador Luiz Estevão. Segundo ele, há uma penhora de R$ 113 mil de dívidas de alugueis atrasados da antiga sede (de propriedade de Luiz Estevão). Ainda existem ao menos dois processos trabalhistas que a FBF terá de pagar a ex-funcionários demitidos por Jozafá Dantas.

Para tentar enxugar a folha, Erivaldo destituiu vários servidores da Federação que ocupavam cargos por indicação. Outros profissionais que eram contratados com carteira assinada estão cumprindo férias, casos da secretária Ana Quesia e do advogado Leonardo Guimarães.

A grande expectativa do presidente da FBF é com relação aos 5% da renda do jogo entre Flamengo e Coritiba a serem repassados à Federação. O jogo está agendado para o Mané Garrincha, no próximo dia 17. Ele espera que o valor a ser destinado à FBF seja suficiente ao menos para quitar a dívida com a arbitragem. O problema é que se o valor for depositado na conta da Federação, possivelmente, será bloqueado para quitar a penhora dos alugueis atrasados da antiga sede.

Apesar de todos os problemas encontrados, Erivaldo Alves mostrou-se confiante. Disse que vai cumprir o mandato tampão até 30 de março do ano que vem, quando haverá nova eleição. “Garanto a vocês que não vou ser candidato na próxima eleição. Estarei muito feliz se conseguir “arrumar a casa” e entregar a Federação numa situação melhor no dia 30 de março, data do meu aniversário”, declarou o presidente.



Fonte - Blog do Jânio Gomes 

Postar um comentário

0 Comentários