Daniel Vilela quer resgatar a força do PMDB no Entorno lançando pré-candidaturas competitivas. Na imagem acima com Dr. Santana (DEM), Daniel Vilela e o pré-candidato do PMDB de Novo Gama, Warlei do Big Lar

Por Wilson Silvestre – Em 1994 quando foi eleito deputado federal, Marconi Perillo (PSDB) percebeu o potencial econômico e político do Entorno de Brasília até então, uma região distante do Palácio das Esmeraldas e visto por Brasília como um ‘depósito de gente’. Ele assumiu o papel de interlocução entre as demandas da população e os poderes, principalmente o executivo federal. Eleito governador de Goiás, investiu pesado em políticas públicas como educação, segurança e infraestrutura. Assim, consolidou sua liderança na região, principalmente em Luziânia, Valparaíso, Cidade Ocidental, Novo Gama, Santo Antônio do Descoberto, Águas Lindas, Planaltina e Formosa.

Numa bem sucedida parceria entre o governador Joaquim Roriz, então no PMDB e posteriormente com José Roberto Arruda, a região deu um salto em investimentos deixando de ser um problema para ser a solução de Brasília. Em 2009, quando o ex-governador do DF, Joaquim Roriz deixou o PMDB, o partido que até então era um protagonista ativo no Entorno junto às decisões políticas do governo de Goiás, entrou em decadência. O PSDB passou a ter domínio quase absoluto nessas cidades, desidratando a maioria dos partidos, principalmente o PMDB.

Agora, com ascensão do deputado federal Daniel Vilela à frente do diretório regional peemedebista, depois de anos sob o comando de Iris Rezende, a estratégia é reconquistar o terreno perdido na última década e meia. Para tanto, a cúpula peemedebista avança com fome voraz sobre o reduto tucano, principalmente em cidades estratégicas como Valparaíso, Luziânia, Formosa e Águas Lindas.

Daniel Vilela e José Nelto, ultimamente tem marcado presenças em todos os eventos de filiações e indicações de pré-candidatos a prefeitos, sinalizando que “o PMDB deixou de ser apenas um expectador ou quando muito, escada para nossos opositores”, tem dito José Nelto em suas aparições.

Valparaíso foi uma das primeiras cidades a receber a cúpula peemedebista na filiação e indicação de Placido Cunha como pré-candidato do partido. Não por acaso, mas pelo simbolismo que representa aos tucanos, Valparaíso foi escolhida por ser o reduto da deputada licenciada, Lêda Borges (PSDB), maior defensora de Marconi Perillo no Entorno. Se Placido conquistar a prefeitura, o cenário em 2018 pode ser invertido a favor do PMDB.

No ato de filiação compareceu até o prefeito de Jataí, Humberto Machado. Trata-se de uma liderança forte do partido no sudoeste goiano, tido como um dos melhores gestores dos municípios no estado. Este gesto foi interpretado por muitos tucanos como sinal de que o PMDB mira o Entorno, um capital político com quase 700 mil votos nos 11 municípios.

Em Cristalina, Wanderlei Benatti recebeu total apoio de José Nelto (centro) para disputar a prefeitura, tendo como aliado, Marquinho Abrão (PRB)

RESGATE DO PMDB – Em Cristalina, município rico devido sua produção de alimentos, agroindústria e geração de empregos, o PMDB passou os últimos sete anos, gravitando em torno do prefeito Luiz Attié (PSD). Por ser um líder centralizador e de personalidade egocêntrica, Attié não permitiu o partido alçar maiores voos, mantendo a legenda sob sua tutela com rédeas curtas, colocando na direção pessoas de sua confiança. “Daniel ceifou de vez as ervas daninhas que impediam nosso crescimento na região. Agora, o PMDB tem pré-candidato num dos mais importantes municípios de Goiás, empresário Vanderlei Benatti, da Plantebem”, disse o deputado estadual José Nelto ao blog na terça-feira (7).

Ao retomar a legenda e entregá-la a Vanderlei, pré-candidato com potencial de crescimento eleitoral, o partido sai da condição de coadjuvante periférico e entra na disputa em Cristalina turbinado.

No município de Luziânia, a polarização entre Marcelo Melo (PSDB), liderando a disputa e Cristóvão Tormin (PSD), pode sofrer abalos. A entrada em cena de Eládio Carneiro (PMDB) pode dividir as atenções dos eleitores e provocar estragos tanto em Cristóvão quanto em Marcelo. As críticas terão como alvo os dois: Marcelo por ser do PSDB, principal adversário dos peemedebistas em 2018 e Cristóvão por estar à frente da prefeitura e amargar um índice alto de rejeição. Já o campo de esquerda, liderado pelo vice-prefeito Didi Viana (PT), deve centrar suas baterias no PSDB, adversário histórico do PT e no PMDB. A cúpula nacional petista orientou suas bases para tratar, em todos os níveis, o ex-aliado como inimigo mortal da legenda.

Daniel Vilela deu as boas vindas a Eládio dizendo que ele é um gestor experiente, conhece o funcionamento da máquina pública e tem bom trânsito entre as lideranças, tanto regional quanto nacional. “Tenho absoluta confiança que ele será um grande gestor para Luziânia” Concluiu dizendo que “o PMDB quer eleger um grande número de prefeitos e vereadores no Estado, mas o foco é ter grandes administradores”.

Mesmo tendo a ex-deputada Sônia Chaves (PSDB) como favorita na disputa pela prefeitura de Novo Gama, o PMDB acredita que o empresário e ex-secretário de Obras da Prefeitura, Warlei Aparecido Lúcio da Silva, mais conhecido como Warlei do Big Lar tem chances de vencer a disputa eleitoral. Como o foco está estre Sônia e o prefeito Everaldo Vidigal (PP), os peemedebistas acreditam o grande número de indecisos, sugere uma terceira via com possibilidades de vitória. O discurso de Warlei tem sido o de que “é possível unir lideranças e as pessoas comprometidas com a cidade, em torno de um projeto econômico e social, principalmente nos bairros mais carentes”.

PRINCIPAL REDUTO DO PSDB – Os peemedebistas também miram suas baterias em Águas Lindas, reduto tucano e, depois de Luziânia, o maior colégio eleitoral do Entorno com 85.950 eleitores inscritos. O empresário Ênio Tatico é a aposta dos peemedebistas, mas dos municípios cobiçados pelo PMDB, Águas Lindas é o reduto tucano com maior presença do governo de Goiás. Além disso, o prefeito Hildo do Candango tem R$ 1 bilhão investido em obras e, dificilmente Tatico terá argumentos suficientes para desconstruir a liderança do prefeito. “A população acompanha a gestão Hildo com lupa e até agora, não encontrou nada que o desacreditasse como gestor e homem público”, garante o chefe de gabinete da prefeitura, Rubens Cardoso, conhecido como Rubão.

O favoritismo do PMDB em Formosa com Ernesto Roller deve sofrer uma reviravolta. Ao desistir da reeleição, Itamar Barreto não jogou a toalha, apenas atendeu pedidos de familiares para cuidar melhor da saúde – será submetido a uma cirurgia –, concluir obras iniciadas e continuar o trabalho de resgate da credibilidade financeira do município. O grupo dele prepara outro nome a ser anunciado como pré-candidato nos próximos dias.



Fonte - Blog Goiás DF