A estratégia do novo comandante da Polícia Militar de Santa Maria, TC Nilson Alves de Araújo é a de atuar na prevenção de crimes com base na análise criminal e dados estatísticos, aproveitando ao máximo os recursos disponíveis na corporação.
Em entrevista ao JSN, o novo comandante falou do trabalho realizado à frente do 26º BPM nos primeiros meses da sua gestão e dos resultados alcançados com a nova estratégia adotada no primeiro quadrimestre de 2016.
Antes de assumir o comando de Santa Maria, o TC Nilson atuou no Departamento de Educação e Cultura da PMDF, no Regimento de Polícia Montada e no policiamento de Brazlândia. Ele ainda atuou no Haiti, na missão de paz da ONU até ser indicado pelo Comando Geral da PM para assumir o 26º BPM.
A maior satisfação em assumir o comando de Santa Maria, segundo o TC Nilson, foi à participação da comunidade nas ações desenvolvidas pela PM na cidade. “Apesar de ser uma comunidade que nos cobra constantemente por resultados, temos a satisfação de poder contar ainda com a sua participação na busca de melhorias para a segurança pública, seja com apresentação de sugestões, bem como por meio de denúncias de crimes. Santa Maria tem uma comunidade participativa e isso ajuda nas nossas ações”, disse.
De acordo com o comandante, os resultados obtidos com a participação da comunidade são visíveis aos olhos da população. “Tivemos uma redução sistemática em crimes dos mais variados níveis em relação a 2015, em alguns casos os índices atingiram algo em torno de 20%”, enfocou.
A avaliação do comandante em relação aos primeiros meses a frente do 26º BPM é positiva. A única dificuldade é a complexidade de algumas ações criminosas. “Não temos uma ação delituosa específica e com local definido para que ele aconteça por conta das ações policiais que estão sendo intensificadas, mas,  algumas áreas antes tidas como sendo de extrema periculosidade, hoje em dia já não existem mais. De acordo com os números que temos, ações criminosas estão diminuindo nessas áreas, tendo em vista que os crimes migram de lugar”, afirmou o comandante.
O TC Nilson informou que não há mágica para o combate aos crimes ocorridos na cidade. Segundo ele, a diminuição dos índices de violência se dá simplesmente pela presença do policial em toda a extensão da cidade. “Não existe mágica para o combate a ações delituosas. O que fazemos aqui no 26º BPM são rondas rotineiras e outras especificas, entre as quais se destaca entrada de duas viaturas às 4 horas da manhã, para combater roubo a pedestres, quando esses saem de casa para o trabalho. Essas viaturas rondam as paradas de ônibus em toda cidade. Além disso o policial está passando constantemente pelas áreas de maior fluxo de pessoas, em especial nas áreas comerciais, o que causa certo desconforto naqueles que frequentam esses lugares com a finalidade de cometimento de crimes”, relatou.
Outro item importante, segundo o TC Nilson é o fato de haver “pontos de bloqueio” nas estremidades da cidade. “De nada adiante fazer um ponto de fiscalização no centro da cidade, sendo que as duas extremidades são cortadas por rodovias e servem de área de escape para criminosos. Assim, montamos pontos de bloqueios nessas áreas e dificultamos a evasão desses”, informou. Todavia, explica o comandante, “Santa Maria tem várias áreas de escape que não são mostradas no mapa, principalmente as que dão acesso à área rural que circunda a cidade. Mesmo assim, procuramos preencher esses espaços, fazendo rondas constantes a fim de coibir a circulação de criminosos por essas áreas”, enfocou.
O comandante também afirmou não ser favorável à instalação de postos de policiamento fixos, a exemplo dos PCS. “A melhor maneira encontrada para a fiscalização, no nosso entendimento, são os postos móveis, montados em vans, que nos dão mobilidade, comodidade e rapidez nas ações. Assim, estacionamos esses postos em locais estratégicos e o retornamos ao comando ao final daquela ação, ou seja, não precisaremos da permanência 24 horas de um policial para garantir a segurança do posto. Ao haver necessidade de ronda, o próprio posto serve de locomoção para o policial”, disse.
O tráfico de drogas é um problema a ser enfrentando, segundo o comandante em qualquer lugar do mundo. “É um desafio generalizado onde à sociedade é a maior prejudicada. O tráfico torna-se, além de uma prática delituosa, um problema de saúde pública, uma vez que o usuário, nem sempre pode ser considerado criminoso”, enfatizou.
A apreensão de armas de fogo teve crescimento na cidade e segundo o comandante, demonstra a ação da polícia na abordagem e vistoria minuciosa em pessoas e veículos. “Posse de armas de fogo nas mãos de pessoas não autorizadas é relativo e não há como acabar totalmente, devido à extensa área da cidade e vias de acesso que contribuem para a entrada de armas e drogas. O que fazemos é dar continuidade às ações já executadas, atingindo uma redução considerável”, disse.
Nilson Alves afirmou categoricamente que não há problema de falta de efetivo no comando de Santa Maria. “O efetivo é adequado para o policiamento da cidade. É certo que, quando se tem mais policial, a atuação se torna melhor. Todavia, a elaboração de estratégia é feita com o efetivo que temos e, caso haja a necessidade de mais homens, sempre contamos com o apoio do nosso comando regional para as ações específicas e reforço rotineiro do policiamento com homens da área administrativa”, informou.
Com relação à segurança em áreas de comércio na cidade, o TC Nilson informou que foi apresentado recentemente à Associação  Comercial e Empresários da cidade, o Serviço de Monitoramento e Acionamento Policial Imediato – SMAPI. “O objetivo do serviço é a resposta imediata, visando à diminuição do tempo de resposta da polícia (tempo de chegada do policial ao comércio), ou seja, ao ocorrer situação de perigo, o comerciante acionará o sistema e a policia irá se dirigir, naquele momento, diretamente ao estabelecimento, pois sabe que naquele local estará acontecendo uma prática delituosa”, explicou.
Ainda de acordo com o comandante, o sistema é individual e não obrigatório. “É um serviço que o próprio empresário instala em seu estabelecimento, mas, que dará maior comodidade e segurança ao comerciante, pois esse estará interligado diretamente com a Polícia Militar”, finalizou.



 Fonte - Agência Satélite