Crimes de estupro em Patos de Minas motivam discussão na Câmara

Audiência levantará alternativas para o problema; já são 6 casos em 2016. Crimes contra crianças e adolescentes também estão na pauta.

Caroline Aleixo
Do G1 Triângulo Mineiro

Audiência pública ocorre no plenário da
Câmara, às 19h (Foto: Reprodução/TV Integração)

Os crimes de estupro vêm alarmando a população de Patos de Minas, no Alto Paranaíba, nos últimos meses. Pelo menos seis casos foram registrados neste ano sendo um deles na noite de segunda-feira (9), quando uma jovem de 20 anos foi violentada sexualmente na Avenida JK. Em virtude da situação, a Câmara Municipal realiza nesta terça-feira (10), às 19h, uma audiência pública com o intuito de levantar alternativas para o problema de segurança pública na cidade.

Em nota ao G1, a assessoria de comunicação informou que a Prefeitura vem acompanhando os casos e que representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, responsáveis por assistir as vítimas de abusos, estarão presentes no encontro no sentido de colaborarem com o que for necessário. A reportagem também procurou a Polícia Civil para apurar sobre investigações em curso, mas não conseguiu contato nesta manhã.

Conforme os dados do Registro de Eventos de Defesa Social (Reds) disponibilizados pela Secretaria de Estado de Defesa Social de Minas Gerais, foram registrados 18 casos em 2014 e 14 no ano passado. Neste ano, o levantamento aponta cinco casos até o mês de março entre estupros consumados e tentados, além de estupro de vulnerável - abuso sexual cometido contra crianças de até 13 anos.
Estamos muito alarmados. São vários estupros e nós mulheres somos muito vulneráveis a esse tipo de ação. Queremos mobilizar todos os setores públicos de Patos de Minas".
Edimê Lima, vereadora

No mês passado um jovem de 27 anos chegou a ser preso no Bairro Rosário suspeito de estuprar uma adolescente de 15 anos. A vítima relatou à polícia que ele a ameaçou para subir na motocicleta e a levou para um loteamento no Bairro Parque do Sabiá, onde ocorreu o suposto abuso. Em março, outra vítima foi estuprada enquanto aguardava o ônibus.

Um novo caso de estupro foi registrado por volta das 22h de ontem. De acordo com as informações da PM, a vítima trafegava pela Avenida JK quando o autor a rendeu, praticou o ato em um local escuro da via e fugiu em seguida. A jovem conseguiu pedir ajuda e o criminoso ainda não foi localizado. “Está se tornando algo frequente e geralmente esses criminosos cometem os abusos em lotes escuros e com matagal. É algo que realmente está assustando a população”, comentou um morador, que não quis ser identificado.

Audiência pública
De acordo com a vereadora Edimê Erlinda de Lima Avelar (DEM), a situação é grave e precisa de amplo debate para medidas urgentes. Foi por isso que ela e o vereador Braz Paulo de Oliveira Júnior (PHS) resolveram convocar uma audiência pública reunindo vários setores da cidade.

“Estamos muito alarmados. São vários estupros e nós mulheres somos muito vulneráveis a esse tipo de ação. Queremos mobilizar todos os setores públicos de Patos de Minas e principalmente a segurança pública, para encontrarmos soluções para combater essa violência. Não podemos permitir isso mais”, comentou.

Um dos pontos a serem levantados será quanto às vias mal iluminadas e com mato alto que, segundo a vereadora, propiciam o ataque dos autores. Em relação ao mato alto, a Secretaria Municipal de Infraestrutura afirmou que o serviço de limpeza vem sendo realizado diariamente, de acordo com o cronograma. Sobre a questão da iluminação pública, a Prefeitura informou que há projetos para melhorias das áreas urbanas com iluminação precária.

Casos de estupro de vulnerável também serão levantados a fim de alternativas para combater os crimes de violência sexual na cidade (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Estupro vulnerável
Embora a violência sexual contra a mulher seja o tema principal da audiência, os crimes praticados contra crianças e adolescentes também serão discutidos. Neste ano, duas ocorrências de estupro de vulnerável já foram registradas na cidade e nove em 2015, uma a mais que no mesmo período do ano anterior. “Conheço pessoas estupradas na infância e que hoje têm síndrome do pânico e outras doenças psicológicas. A sociedade patense está indignada com esses atos animalescos e queremos traças estratégias para combater esses crimes”, pontuou Edimê.

O encontro deve reunir representantes do Município, polícias Militar e Civil, Ministério Público Estadual, psicólogos e demais vereadores. A audiência também é aberta à comunidade em geral que tenha interesse em participar das discussões.


Fonte - G1/Patos de Minas

Postar um comentário

0 Comentários