NA BAHIA EMPRESÁRIO QUE FICOU MILIONÁRIO COM A TELEXFREE É TORTURADO E MORTO


Nesta última terça-feira (19) o corpo de um homem foi encontrado em um terreno abandonado no Distrito de Humildes em Feira de Santana (116 km de Salvador). 

De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi identificada como o milionário Dorian da Silva Santos, conhecido como “Dorian do Telexfree”, tido como um dos maiores líderes da empresa no Brasil. 

Segundo informações, o corpo de Dorian estava com as mãos amarradas para trás e com marcas de espancamentos e tiros. A vítima era pré-candidato à prefeitura de um município do interior da Bahia. 

Ainda segundo informações, a suspeita é de que o empresário tenha sido sequestrado em sua caminhonete e levado até um matagal na BR-101. Já na noite desta última quarta-feira (20) policiais do Pelotão de Emprego em Táticas Operacionais (PETO) prenderam 03 criminosos suspeitos de participarem do crime contra o empresário. 

Com o trio identificado como Davi Rios de Oliveira de 21 anos, Joanderson Menezes de Lima de 24 anos e Fernando Brito Candido de 21 anos, os policiais localizaram o veículo do empresário além de duas armas de fogo. 

De acordo com os policiais, os criminosos estavam praticando assaltos a pedestres e estabelecimentos comerciais no bairro de Cidade Nova. Os marginais chegaram a trocar tiros com os militares onde um jovem que passava pelo local acabou sendo baleado e levado ao Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA). 

A Delegacia de Homicídios de Feira de Santana trabalha com três linhas de investigações, a primeira é de latrocínio que é assalto seguido de morte, já que o carro do empresário estava com os bandidos que o utilizaram para cometer outros crimes. 

A segunda é a possibilidade de o crime estar relacionado com a pré-candidatura de Dorian e a terceira possibilidade é de que o caso tenha ligação com a atuação da vítima na Telexfree. Até o fechamento desta matéria a polícia não deu informações sobre a participação dos três presos em relação a morte do empresário.


Fonte - Carlos Milani

Postar um comentário

0 Comentários