Câmara exonera servidores

Ato isolado do candidato derrotado e presidente da Câmara, Alan do Sacolão exonera 37 servidores. Demitidos cobram rescisão de contrato que ainda não foi homologada.

Na segunda-feira (31), uma decisão da presidência da Câmara de Vereadores Municipais de Novo Gama, sem o consentimento dos demais vereadores da mesa diretora, exonerou 37 servidores comissionados da Casa de Leis deixando o local num verdadeiro abandono. A faxina só não foi completa devido haver alguns poucos servidores de carreira e outros em cargos estratégicos lotados no gabinete da presidência.
De acordo com vereadores, a decisão unilateral partiu do presidente da Câmara, vereador Alan do Sacolão (PRB), que argumentou contensão de despesas e sem consultar a mesa diretora promoveu a demissão em massa.
De acordo com assessores, uma vez que não foi possível estabelecer contato com o presidente, a demissão ocorreu num momento em que o órgão “apresentava inchaço no quadro de funcionários, bem como a falta de recursos para custear os salários dos comissionados”, o que, segundo a assessoria da presidência, poderia comprometer as finanças e levar o presidente, vereador Alan do Sacolão (PRB) a responder ação de improbidade administrativa devido o não cumprimento da LRF. Porém, a informação foi desmentida por outros vereadores ao informarem que a decisão não é a estabilização das contas e sim ingerência administrativa do presidente. “Ele pregou durante todo o seu mandato que a Câmara estava com as contas estabilizadas e tinha dinheiro em caixa que dava pra construir a sede própria. Agora ao final do mandato, após perder as eleições majoritárias ele exonerou servidores ligados aos demais vereadores e não os ligados a ele?”, perguntou o vereador Narciso de Carvalho (Prós), que alegou achar muito estranha a decisão do presidente. Outro fato levantado por Narciso é que restando quinze dias para as eleições, o presidente promoveu férias coletivas somente aos servidores ligados a ele, sem qualquer justificativa que explicasse a atitude. “A única coisa que posso entender é que os servidores ficaram a sua disposição na campanha”, frisou.
A medida tomada pela presidência da Câmara também não agradou a várias lideranças políticas da cidade, bem como de outros segmentos. Nas redes sociais, várias pessoas fizeram críticas ao presidente da Casa, Alan do Sacolão que recentemente foi derrotado nas urnas e que somente após o resultado das urnas, procedeu com a medida. “Esse é o preço da política. Quem não o apoiou na campanha foi o primeiro a ser exonerado. Eu já sabia. Lamento pelos pais de família que estão na rua.... E por ter sido enganados por um homem que se disse honesto... Decepção comigo mesmo, eu iria colocar esse cara no governo...Um cara que só pensa nele não serve para governar, brigou com o ex-presidente dizendo que o seu mandato na Câmara iria terminar e a mesma ia ter tanto dinheiro que ele ia construir outra Câmara para o município. Enfim, não fez nada, cortou a gratificação dos que trabalhavam, um dia antes do pagamento, com a desculpa que era para manter os funcionários e derrepente estamos todos na rua, porque será senhor presidente? Que tantos gastos são esses? A câmara outra hora estava brotando dinheiro e derrepente o caixa está vazio. Desculpa Alan do Sacolão, eu me enganei ao seu respeito. É, esperava mais”, escreveu um ex-servidor em uma rede social.
Outro ex-servidor postou o seguinte comentário: “Olha o que o moleque irresponsável do presidente da Câmara Municipal fez com nos funcionários, nos exonerou na covardia por causa da má administração que ele teve, afundou as finanças. Nesses últimos dias faltava café, papel higiênico e até mesmo copos descartáveis... Esse era o governante honesto e sincero que vocês iam escolher para governar o município. Agora senhor Alan do Sacolão, seja 10 mesmo pague nossa rescisão. Seja homem”.

Procurado para se pronunciar sobre o assunto, o presidente da Câmara não retornou as ligações e através da sua assessoria, diga-se de passagem, bem estruturada, não responder os relatos descritos nas redes sociais.



Fonte – Agência Satélite

Postar um comentário

0 Comentários