Casal espanca grávida até a morte e ateia fogo no corpo

Após o crime, a dupla ainda teria ateado fogo no corpo da jovem, que estava grávida de quatro meses. Os suspeitos, um borracheiro de 23 anos e a companheira, um dona de casa de 40 anos


Um casal foi preso na última segunda-feira (7), em Aparecida de Goiânia (GO), por suspeita de espancar e matar Patricia da Conceição, de 23 anos. Após o crime, a dupla ainda teria ateado fogo no corpo da jovem, que estava grávida de quatro meses. Os suspeitos, um borracheiro de 23 anos e a companheira, um dona de casa de 40 anos, alegaram que a vítima teria feito “fofoca” sobre a vida íntima do casal, chegando até a relatar para traficantes da região que o homem estaria vendendo drogas.

De acordo com investigações, três adolescentes também participaram do crime. Dois deles são filhos da suspeita, um de 12 anos e outro de 16. Já o terceiro envolvido trabalhava com o borracheiro. Um dos menores ajudou a segurar a vítima enquanto ela era espancada, enquanto os outros dois carregaram o corpo de Patricia até um matagal, perto da residência do casal.

A ação ocorreu no dia 2 de agosto, no interior da casa dos suspeitos. Em depoimento, os dois disseram que chamaram a jovem para consumir drogas, uma vez que ela era usuária, e preparou uma armadilho, que visava dar uma “lição” na vítima. O borracheiro consumiu crack e esperou a droga fazer efeito para partir pra cima da vítima. Ela foi espancada com golpes de martelo e pedaços de pau para, em seguida, ser enforcada com fios elétricos.

Após o crime, o corpo da jovem foi levado em um carrinho de supermercado com ajuda dos dois adolescentes até o matagal. Os vizinhos encontraram o cadáver no mesmo dia. O casal, no entanto, foi preso cinco dias depois.

O borracheiro está detido na 1ª Delegacia de Polícia, em Aparecida de Goiânia, enquanto a dona de casa está na 14ª DP, em Goiânia. O dois devem ser indiciados por homicídio qualificado, aborto, ocultação de cadáver e corrupção de menores, podendo pegar entre 17 e 47 anos de prisão.


Fonte - Jornal de Brasília

Postar um comentário

0 Comentários