Porto Rico – Do sonho a realidade!


Moradores comemoram a fase final das obras e as melhorias que foram implementadas no bairro, que há 18 anos convivia em meio a poeira, lama e buracos.




O sonho de morar em um lugar aconchegante com o mínimo de dignidade e com serviços públicos funcionando em sua plenitude, aonde o estado invista no bem-estar da sua população, está enfim se tornando realidade para os moradores do Ribeirão Santa Maria, bairro popularmente conhecido por “Condomínio Porto Rico”. Há vários anos que aquela comunidade sonha com o cumprimento, por parte do governo, das várias promessas que foram feitas ao longo dos seus 18 anos de existência. “Entra governo e sai governo e a nossa realidade continua a mesma”, dizia há época a dona de casa Maria de Jesus Santana, que já havia perdido as esperanças de ver o bairro com toda infraestrutura necessária.
Já nos primeiros dias de gestão, o atual governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg prometeu olhar especial com relação ao bairro e as suas promessas não foram em vão. “Ele prometeu e cumpriu, e ao contrário das promessas feitas em gestões passadas, as coisas aconteceram e hoje o nosso bairro está 85% urbanizado”, disse o líder comunitário Regis Cardoso Freitas, popularmente conhecido por “Palhaço Paçoca”.
Com o apoio maciço da Administração Regional, as obras transcorreram de forma correta, sem atropelos e dentro daquilo que foi projetado e enfim o desenvolvimento começou a chegar para os moradores do bairro. De acordo com o administrador Hugo Gutemberg, foram investidos mais de R$ 25 milhões em obras de saneamento, entre os quais, a construção da rede de captação de águas pluviais, construção da estação elevatória da Caesb e da bacia de contenção, fornecimento de água tratada em 100% das residências, asfalto em todas as ruas, instalação de meio-fio e a construção de calçadas em todas as ruas. Ele afirmou que outros serviços serão realizados, além da manutenção dos prédios públicos e ainda a tão sonhada regularização fundiária do local.
Para a líder comunitária, ex-Presidente da Associação de Moradores e pioneira do bairro, Terezinha da Silva Rocha, a promessa de urbanização do Porto Rico enfim foi cumprida. “O governo prometeu e cumpriu. Após 18 anos vivendo na lama, poeira e em meio aos inúmeros buracos, hoje o Porto Rico é uma realidade, se tornando um local agradável e digno de morar. Agradeço em nome de todos os moradores ao empenho do governo em nos proporcionar esta maravilha que se tornou o Porto Rico”, enfatizou.


Por sua vez a atual Presidente da Associação dos Moradores do bairro, Joana D’Arc Tavares de Souza Santos, o fato de o governo mostrar empenho desde o início com ações concretas e visíveis para a comunidade foi determinante para o sucesso e realização das obras. “Em outras gestões o que víamos aqui eram somente audiências públicas com alegação de que deveriam desenvolver projetos e buscas licenças ambientais, entre outras ações paliativas que serviam apenas para ‘tapar buracos’. Fora isso, nada a mais de concreto acontecia. Já com o atual governo, o paliativo foi transformado em obras e acredito que a audácia fez com que as coisas acontecessem. Pelo menos uma vez por mês o governador Rollemberg esteve pessoalmente aqui no condomínio acompanhando as obras. Outro fato é que as desculpas das tais licenças ambientais foram superadas em pouco tempo o discurso foi transformado em ação.
O comerciante Antônio de Paula Neto, morador do bairro há 12 anos, comemorou muito as obras de pavimentação. “Isso mostra o trabalho sério feito pelo governo, que garantiu urbanizar o Porto Rico e está cumprindo”, disse, destacando também que a presença do poder público no local está trazendo outros benefícios para a população. “Tínhamos sérios problemas, principalmente com a falta de conservação das ruas que muitas vezes estavam esburacadas, esgoto a céu aberto, poeira e lama, entre outros tantos problemas devido à falta de infraestrutura. Com o atual governo a qualidade de vida dos moradores melhorou muito e agora com a conclusão das obras, a nossa rotina e nosso patrimônio começa a ser valorizado”, ressaltou.
A maioria das obras realizadas pelo Governo de Brasília no Ribeirão Santa Maria, são com recursos do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, oriundas do Governo Federal, que são destinadas após aprovação de projetos idealizados pelos governos estaduais. São analisados vários aspectos e etapas para que os recursos sejam liberados e o Governo de Brasília cumpriu todos eles. Com isso foi possível a urbanização do bairro.
Outro setor que está sendo considerado prioritário pelo Governo de Brasília é a conhecida Vila dos Carroceiros, localizada na QR 103 de Santa Maria.
O maior entrave, segundo o governo é a questão de regularização fundiária que é complexa e exige cautela e paciência, que impede a expedição de licenças ambientais necessárias.
No local vivem cerca de 400 moradores. Recentemente houve uma ação da Caesb que desfez uma ligação irregular que abastecia o local, o chamado “gatos”. Desde então, a administração da cidade, por intermédio da Gerencia de Serviço Social, e em parceria com o Conselho Tutelar, está auxiliando no dia-a-dia dos moradores.


O governo tenta encontrar uma solução legal para regularizar a situação das famílias que vivem no local há anos e que jamais tiveram qualquer tipo de benfeitoria ou paliativo por parte do poder público.
Os moradores alegam que ocupam a área há 23 anos e possuem os documentos de sessão de uso, emitidos por “órgãos competentes” autorizando que trabalhem com animais no local. “Nós recebemos autorização da Secretaria de Agricultura para trabalhar aqui na área que possui 13 hectares, nas proximidades da área de Desenvolvimento Econômico (ADE)”, afirma o presidente da Associação dos Moradores da Vila, Camilo Silva.
Com relação as afirmações do presidente e situação do local, o administrador Hugo Gutemberg relatou que o governo está esforçado na busca de mecanismos que resolvam definitivamente o problema dos moradores da região. O maior entreve segundo Gutemberg, é a concessão de licenças ambientais para a realização de benfeitorias no local, pois, por se tratar de uma área rural, tal concessão é muito complicada. Todavia, segundo o administrador, o governo garante que não vai se curvar diante do problema e vai encontrar meios para resolver definitivamente a situação que se encontram os moradores do setor.


Fonte - Agencia Satélite

Postar um comentário

0 Comentários