POLICIA

Um professor de música, que dava aulas em uma igreja de Acrúna, foi preso suspeito de abusar sexualmente de três adolescentes. Segundo a Polícia Civil, uma das alunas chegou a se mutilar e abandonar o curso por causa do assédio.

O delegado Daniel Gustavo Gonçalves, responsável pelo caso, informou que o preso negou ter praticado os crimes. 

De acordo com o delegado, o mandado de prisão preventiva cumprido na quinta-feira (19) foi referente ao caso da menina que se mutilou. As investigações começaram há duas semanas, quando, segundo o investigador, o pai dela viu mensagens no telefone da filha.

“Ela enviou a um amigo mensagens nas quais ela confidenciava os atos abusivos do professor. Ele procurou o Conselho Tutelar para relatar a situação, que trouxe o caso para a gente”, contou Daniel Gustavo.

Casos são investigados na delegacia de Acreúna — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Antes de pedir a prisão, o delegado ouviu outras duas adolescentes que relataram ter passado por situações de abuso. Ele informou que as alunas têm 12 ou 13 anos.

Segundo o depoimento das meninas, o professor as assediava, passando as mãos em suas pernas, nádegas e seios, na maioria das vezes disfarçando os atos como se fossem brincadeiras.

“Alguns destes atos acontecerem dentro da própria igreja. Com uma das adolescentes foi mais contundente”, afirmou Daniel.

A Polícia Civil cumpriu também mandado de busca e apreensão na residência do suspeito. Segundo o delegado, o preso foi levado para a cadeia de Acreúna. “Ele será indiciado pelo crime de importunação, com pena máxima de até 5 anos de reclusão, porque, se tivéssemos constato situações ainda mais graves, ele iria responder por estupro de vulnerável”, relatou Daniel Gustavo.

Fonte - Vale Notícias