CORONAVIRUS, A doença que colocou o mundo em alerta.


 Informações sobre o novo coronavírus (COVID-19) - Pfarma

Uma das piores doenças do século 21, após a gripe aviária (H1N1), ebola, peste negra, gripe espanhola e a gripe suína, o Corvid-19 ou coronavírus abalou o planeta e colocou em alerta os seus cerca de 7,7 bilhões de habitantes.
Em janeiro, chegou ao Brasil e foi diagnosticado como sendo uma “gripezinha” de menor potencial pelo médico e comentarista de saúde, Dr. Dráuzio Varela. Todavia, logo nos primeiros dias já deixou centenas de vítimas na China e Europa, chegando aos Estados Unidos como sendo de grandes proporções. No país está causando alvoroço aonde grande parte da população, seguindo orientação de governos estaduais, esta reclusa, em quarentena, dentro de suas casas.
Com o passar das semanas e o aumento dramático de infectados, eventos foram cancelados ou suspensos. Festivais e campeonatos esportivos foram paralisados e líderes mundiais como o americano Donald Trump e a alemã Angela Merkel admitiram recentemente que vivemos o maior desafio global desde a Segunda Guerra Mundial, que durou de 1939 a 1945 (fonte: Revista Saúde).
É claro que o vírus por si pode não ser nocivo, mas, basta o infectado possuir um sistema imunológico enfraquecido, ou está acometido de qualquer doença de trato respiratório classificada superior de moderada a grave, semelhante a um resfriado para que esse sofra as suas consequências, podendo ser mortal. Os sintomas do Coronavírus incluem coriza, tosse, dor de garganta, possivelmente dor de cabeça e febre, que pode durar alguns dias. No caso de idosos e crianças, há uma chance de o vírus causar problemas respiratórios de moderado a grave, como uma pneumonia ou bronquite, muitas vezes, não sendo necessário haver outra anomalia para levar o paciente ao óbito.

 Coronavírus – Bem Estar

Da origem
A pandemia do coronavírus poderia ser um novo capítulo do livro Spillover - Animal Infections and the Next Human Pandemic, do escritor americano especialista em ciência e natureza David Quammen. Na obra, publicada em 2012, o autor retrata como vírus e bactérias que infectam animais selvagens ou domésticos conseguem “pular” para a espécie humana, causando doenças e mortes. Ele explica que a doença começa com o vírus Hendra, que saltou de cavalos para homens na Austrália em meados dos anos 1990, mas tem sua origem em morcegos chineses, que aliás, parecem ser um dos principais reservatórios para vírus potencialmente terríveis ao ser humano (isso explica sua origem pela culinária chinesa) e vai até a gripe, que vem de aves podendo fazer um estágio em outras espécies como porcos (fonte: Revista Saúde).
Ao contrário do que se comenta, o Corvid-19 não foi criado em laboratório. O vírus começou a circular na China em dezembro de 2019, chegou a diversos países, incluindo o Brasil, e está em todos os continentes; no dia 11 de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou pandemia (enfermidade epidêmica amplamente disseminada).
Em uma análise de cientistas de universidades dos Estados Unidos, Inglaterra e Austrália, esses concluíram que o novo coronavírus foi originado naturalmente, através de seleção natural, e não em um laboratório, como diziam algumas teorias da conspiração que circularam recentemente (o que justifica o artigo da Revista Saúde). O estudo, publicado na revista científica Nature Medicine, contribui para esclarecer especulações sobre uma suposta manipulação do coronavírus pela China, que teria objetivo de obter vantagens econômicas em um cenário de crise mundial.
O coronavírus chinês, primo do vírus da SARS, infectou centenas de pessoas desde o início do surto em Wuhan, na China, em dezembro passado. O cientista Leo Poon, virologista da Escola de Saúde Pública da Universidade de Hong Kong, que primeiro decodificou o vírus, acredita que esse teve origem em um animal e se espalhou para os seres humanos. "O que sabemos é que causa pneumonia e, em seguida, não responde ao tratamento com antibióticos, o que não é surpreendente", disse.
Estamos diante de uma doença sem cura, ou que durará vários anos ou décadas? É impossível ter uma resposta à altura. O que é certo prever é, depois que essa crise finalmente for controlada, haverá outra. Assim, devemos usa-la, como uma lição para o futuro de como devemos agir.
Façamos nossa parte e sejamos inteligentes, para não incorrermos dos mesmos erros, acreditando no achismo o naquilo que me disseram, ou seja, agir conforme mandam os especialistas e não engordar somente pela boca e sim com aprendizados, pois mundo nos reserva tudo aquilo que plantamos.


Fonte - Agencia Satélite


Postar um comentário

0 Comentários