DISTRITO FEDERAL - Escolas públicas do DF: aulas pela web começam na quarta (22/04)

Segundo Secretaria de Educação, 6% dos alunos não têm conexão com a internet. Se aulas voltarem até junho, ano letivo está salvo no DF

IGO ESTRELA/METRÓPOLES

As aulas on-line para estudantes de escolas públicas do Distrito Federal começam na próxima quarta-feira (22/04). Elas são opcionais e uma forma de os alunos preservarem os vínculos com os estudos durante o isolamento social provocado pela pandemia do coronavírus. Não substituem as horas-aulas necessárias para a conclusão do ano letivo. No DF, os colégios públicos e particulares não podem retomar as atividades pelo menos até o dia 30 de maio.

As aulas on-line começam para os alunos do ensino médio. No segundo momento, a ferramenta vai ser aberta para do ensino fundamental. Em 22 de abril, os estudantes vão poder fazer cadastro para as aulas on-line no site da pasta. O passo a passo para cadastro e conexão será detalhado na página eletrônica da secretaria.

Segundo a Secretaria de Educação, 6% dos estudantes não têm acesso a computador, celular ou conexão com internet. Os números são da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan).

A secretaria promete mandar material didático para os alunos que não conseguirem acessar os conteúdos. Mas ainda não tem data e nem o quantitativo do material. Estes pontos serão definidos após o começo das aulas on-line.

“Em uma terceira etapa, vamos enviar para a casa desses alunos material didático. O professor não estará presente, então, a ideia é oferecer conteúdo da base curricular e com um certo grau autonomia para a aluno. A gente quer alcançar todos os estudantes”, disse o assessor especial da Secretaria de Educação do DF e coordenador das teleaulas, David Nogueira.

Conforme o Metrópoles noticiou em primeira mão, prevendo o longo período sem aulas, a secretaria decidiu transmitir aulas para os alunos pela televisão e internet. A pasta ainda trabalha para melhorar as teleaulas. “Queremos expandir um pouco mais o tempo de aula para cada série, melhorando o conteúdo. Nossa intenção também é divulgar a grade”, explicou Nogueira.

Os irmãos Alex Cruz dos Santos, de 17 anos; Evellen Cruz dos Santos, 13; e Alisson Cruz dos Santos, 15, estão encontrando dificuldades. Sem internet e celular, os moradores de Santa Luzia, na Estrutural, não conseguem ver as aulas pela TV e não têm condições de cursar a versão digital. Enquanto Evellen, a caçula, ajuda nos afazeres de casa e sente saudades dos livros e dos colegas de classe, os irmãos passam o dia trabalhando em uma oficina de bicicletas. A ideia é ocupar a mente.

Os irmão de Evellen, Alex Cruz dos Santos, 17 anos e Alisson Cruz dos Santos, 15 anos, passam o tempo trabalhando em uma oficina de bicicletas Material cedido ao Metrópoles

A estudante Evellen Cruz dos Santos, 13 anos, sempre pergunta para mãe quando as aulas serão retomadasMaterial cedido ao Metrópoles

Evellen Cruz dos Santos materializa a saudade em anotações no cadernoMaterial cedido ao Metrópoles

Os irmão de Evellen, Alex Cruz dos Santos, 17 anos e Alisson Cruz dos Santos, 15 anos, passam o tempo trabalhando em uma oficina de bicicletas Material cedido ao Metrópoles

A estudante Evellen Cruz dos Santos, 13 anos, sempre pergunta para mãe quando as aulas serão retomadasMaterial cedido ao Metrópoles

Segundo a mãe dos três estudantes, a trabalhadora doméstica Eliene Cruz dos Santos, 32 anos, as soluções de emergência da secretaria até agora estão distantes da família.

“Meus filhos não têm celular e nem dinheiro para colocar crédito. Precisamos de soluções diferentes para nossas crianças”, pontuou ela, que diz entender o momento de isolamento social.
Universitários

A pandemia de Covid-19 levantou a proposta do ensino a distância em toda rede educacional. Segundo pesquisa do instituto Quero Bolsa, um quarto dos estudantes de Ensino Superior do DF não tem estrutura tecnológica de acesso.

A pesquisa compilou as respostas do questionário socioeconômico do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) dos últimos cinco anos. Ou seja, percentualmente, 23,5% dos candidatos não têm acesso à internet.

Até o momento, a avaliação da Secretaria de Educação sobre as teleaulas é positiva. As aulas transmitidas no canal EducaDF, no YouTube, contabilizam cerca de 35 mil visualizações.

A Secretaria de Educação colocou em marcha cursos de formação para professores produzirem aulas on-line. Quem tiver interesse deve acessar o link.

Medida provisória do governo federal estabeleceu, para este ano de crise, a necessidade de 800 horas/ aula para a formação dos estudantes. A rede pública do DF trabalhava com carga de 1 mil horas. “Se voltarmos até junho, o ano está garantido. Se passar disso, aí vamos precisar repensar o calendário escolar de reposição”, disse Nogueira.

Confira os canais de transmissão das teleaulas:


O Programa Escola em Casa DF pode ser assistido a qualquer momento pelo canal EducaDF SEEDF, no YouTube:

Na TV Justiça: (digital – canais 53.1 e 53.2 – Ponto Jus, Net Brasília – canal 26 e TVA – canal 222)

YouTube da TV Justiça:

Twitter da TV Justiça:

Rede Gênesis (digital – canal 30.1):

Reprise no canal aberto da TV União (digital – canal 11.1)


Fonte - Metópoles

Postar um comentário

0 Comentários