ECONOMIA - Imposto de Renda: 16 milhões ainda não declararam. Veja quem é obrigado

Segundo dados da Receita Federal, metade dos 32 milhões contribuintes fizeram a declaração até segunda-feira. Veja quem deve contribuir

Amenos de um mês para se encerrar o prazo estabelecido por lei, metade dos contribuintes ainda não declararam o Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) deste ano.

Até as 11h dessa segunda-feira (01/06), a Receita Federal computou 16,4 milhões de declarações. A pasta espera um total de 32 milhões de contribuintes.

Inicialmente, o prazo para declarar o Imposto de Renda era 30 de abril. Por causa da pandemia do novo coronavírus, a Receita adiou a data para 30 de junho.

O vencimento das cotas também foi prorrogado. A primeira ou única cota vence também no próximo dia 30. As demais vencem no último dia útil dos meses subsequentes.


“Bom frisar também que a exigência de se informar o número constante no recibo de entrega da última declaração de ajuste anual foi retirada”, informou a Receita.
Quanto antes, melhor

Os contribuintes que declararam o Imposto de Renda tendem a receber a restituição mais cedo. A Receita Federal dá preferência a idosos e professores.

A Receita Federal, inclusive, liberou, na última sexta-feira (29/05), o primeiro lote da restituição do Imposto de Renda deste ano, que tem 2019 como ano-base.


O governo antecipou o calendário de restituição em comparação com o ano passado. O último – e quinto – lote vai ser liberado em 30 de setembro deste ano.

Veja como ficou:
1º lote: 29 de maio de 2020
2º lote: 30 de junho de 2020
3º lote: 31 de julho de 2020
4º lote: 31 de agosto de 2020
5º lote: 30 de setembro de 2020

Quem precisa declarar

Deve declarar quem recebeu mais de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis em 2019 ou valores isentos não tributáveis maiores que R$ 40 mil.

Em relação à atividade rural, deve declarar quem obteve receita bruta superior a R$ 142.798,50.

Também está incluído o contribuinte que teve, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00.

Não escapa quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nesta condição se encontrava em 31 de dezembro.

De acordo com a legislação, quem não entregar a declaração dentro do prazo ou não a fizer paga multa a partir de R$ 165,74 – o valor máximo será de 20% do imposto devido.


Fonte - Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários